Resenha | Um tom mais escuro de magia - V. E Schwab

Ano: 2016
Páginas: 402
Editora: Galera Record
Nota:
Desde que comecei a assistir vídeos de booktubers estrangeiros, um nome quase sempre era mencionado quando se tratava alguma TAG: Victoria Schwab. Ao pesquisar sobre ela na época vi que seus livros ainda não haviam sido trazidos para o Brasil, mas as sinopses me chamaram muita atenção. Agora que a editora Record adquiriu os direitos da sua mais nova trilogia, finalmente consegui ler algo dela e ver que seus livros são realmente bons.

Em um tom mais escuro de magia, somos apresentados a quarto mundos paralelos, cada um diferente do outro sendo em geografia, política, desenvolvimento tecnológico e existência de magia, exceto que todos possuem uma cidade em comum: a imponente Londres.

Cada versão é batizada de acordo com as características de cada cidade.
  • Londres Vermelha: Governada de forma justa pela família real Maresh, essa Londres é denominada vermelha pois das quarto é onde a magia está mais viva, fazendo com que haja uma relação mais harmoniosa entre ela e os habitantes desse mundo.
  • Londres Cinza: A Londres da nossa realidade é governada por um rei louco e é denominada cinza por conta da poluição e da magia que foi esquecida.
  • Londres Branca: Onde a busca pelo poder levou a escravização da magia, a Londres branca encontra-se no caos, pois a magia não gosta de ser controlada e por isso está drenando a cidade
  • Londres Preta: A única coisa que se sabe sobre essa Londres é que foi consumida pela magia negra e teve suas portas fechadas para que essa magia não se espalhasse para os outros mundos.

Com o incidente da Londres Preta, as portas para os outros mundos foram fechadas e apenas algumas pessoas, os Antari, ainda conseguem viajar entre os mundos. Nisso conhecemos Kell, um dos últimos Antari e encarregado pela Londres vermelha das correspondências reais entre os mundos. Além disso Kell também é um contrabandista, levando itens entre as diversas Londres para pessoas que estão dispostas a tudo por um vislumbre de algo diferente. Entre essas transações Kell resolve fazer um favor para uma senhora e acaba por transportar uma poderosa relíquia que pode destruir todos mundos. E é em sua jornada para destruir essa relíquia, que ele encontra Lila, uma ladra moradora da Londres Cinza que é capaz de tudo para entrar em uma aventura.

Kell e Lila formam uma ótima dupla, ambos completando o que falta ao outro. Kell é sério, cometido e um pouco ingenuo, já Lila é extrovertida, perspicaz e cheia de malicia das ruas, então quando há uma cena com eles já espere por algo engraçado e cheio de alfinetadas. Os personagens secundários são tão interessantes quanto os principais, mas senti que foram pouco explorados nesse livro, queria muito mais do Holland (Antari da Londres Branca) e do Rhy (irmão de criação de Kell) e espero que eles tenham mais "tempo de páginas" nos próximos livros.

O sistema de magia empregado nesse mundo é baseado em elementos, sendo que água, fogo, terra e ar os mais comuns e osso o mais perigoso (quem o controla pode controlar as pessoas), já a magia usada pelos Antari é diferente das demais, sendo baseada em sangue, ou seja, eles utilizam o próprio sangue para potencializar a magia. Aliás a magia aqui tem vontade própria, ela faz o que quer e do jeito que quer e para manipula-lá é necessário aprender a ter respeito pela mesma, assim como sobre seus limites e regras.

Por se tratar de um livro sobre magia e fuga para outros mundos, a quantidade de lutas existente foi uma surpresa agradável. Mas não espere lutinhas bestas com alguns feitiços aqui e ali e pronto, as lutas presentes são bem descritas, mostram bem como a magia é utilizada e são bem sangrentas. O que me fez pensar em como esse povo tem tanto sangue no corpo, pra sangrar nas batalhas e ainda ter para fazer magia XP.

O livro termina com um mega cliffhanger que dá uma amostra do que vamos enfrentar nos próximos livros (Record lança logo o próximo!) e para já preparamos o coração para as fortes emoções. Por ser narrado com múltiplos pontos de vista é possível ter um melhor entendimento do mundo criado pela autora, esta que possui um escrita tão envolvente que quando você vê já passou da metade do livro e nem percebeu. Então se antes eu tinha alguma dúvida sobre o quão bom eram os livros da V. E Schwab, agora eu tenho plena certeza de que vou indicá-los para todo mundo.

Resenha | Desventuras em Série (1 - 4) - Lemony Snicket

É hoje... Depois de 12 anos após a adaptação pros cinemas, a série de livros Desventuras em Série finalmente ganhou outra chance de mostrar ao publico porque ela não deve ser vista, reproduzida ou até mesmo narrada, já que a vida dos órfãos Baudelaire é tudo menos feliz.

A primeira temperada da série será transmitida pela Netflix e irá contar com oito episódios (sendo dois para cada livro), e tem no elenco atores como Neil Patrick Harris, Patrick Warburton e Joan Cusack. Então para evitar que vocês assistam essa atrocidade e conheçam a infortuna (palavra que quer dizer triste, desoladora e sem final feliz)  história dos órfãos Baudelaire resolvi fazer um pequeno resumo sobre os livros nos quais essa temporada irá se basear, porém se mesmo assim vocês resolverem assistir a série, pelo menos estarão preparados para todo o mal que há de vir.
Mau Começo
Ao começar esse livro já temos o seguinte aviso do autor "Se vocês se interessam por histórias com final feliz é melhor ler algum outro livro"e quando vemos que o primeiro contato que teremos os protagonistas é quando eles recebem a notícia de que seus pais morreram em um terrível incêndio, vemos que não, ele não está mentindo.

Violet tem 14 anos e é uma inventora que sempre anda com uma fita de cabelo junto a si, pois quando está pensando em algo gosta de amarrar os cabelos para afastá-los dos olhos. Klaus tem 12 anos e é um leitor voraz com uma memória incrível, podendo lembrar de tudo o que já leu na vida. Sunny que ainda é um bebê, mas possuidora de 4 dentes afiados que são usados na coisa que mais ama na vida: morder.

Por conta de um desejo do testamento de seus pais, os Baudelaire devem ser criados por membros da família e nas melhores condições possíveis e com isso vão parar sob guarda do Conde Olaf, um primo distante do qual eles nunca ouviram falar. Porém Olaf não está nem aí para as crianças, e só aceitou "cuidar" delas por causa da herança e agora os órfãos tem que viram sozinhos para sobreviver e ainda desmascarar o conde, já que os adultos nunca levam o que eles falam a sério.

A Sala dos Répteis
Depois de conseguirem escapar da mãos do conde Olaf, os Baudelaire finalmente vão para uma casa onde há chances de serem realmente felizes, Seu mais novo tutor é o Dr. Montgomerry Montgomerry, ou simplesmente Tio Monty, um especialista em répteis e que está genuinamente feliz em acolher os órfãos e lhe dar tudo o bom e do melhor.

Porém a felicidade acaba com a chegada de Stefano, o substituto do assistente do Tio Monty, que pode enganar a todos os adultos, menos as crianças que sabem que ele nada mais é que o conde Olaf disfarçado e que mais uma vez está disposto a tudo para por as mãos na fortuna deles.

O lago das Sanguessugas
Mais uma vez os Baudelaire se encontram a espera do Sr. Poe, para que ele os leve para conhecer o novo tutor. Dessa vez eles vão moram com a Tia Josefine, uma mulher que ama gramática, mas que morre de medo de tudo, desde de acender o fogão a até girar uma maçaneta, porém mesmo tendo todo esse medo, vive em uma casa que fica em um precipício as beiras do lago lacrimoso.  

Como sempre o conde Olaf tramou mais um plano para se apossar de tudo o que as crianças possuem e aparece no vilarejo como Capitão Sham, pronto para seduzir a Tia Josefine, casar-se com ela e "compartilhar" a guarda dos órfãos.

Serraria Baixo Astral
Se até agora você pensou que a vida dos Baudelaire não podia piorar, você está completamente errado. Dessa vez nada de casa aconchegante ou de um tutor legal, nesse quarto livro, os órfãos vão morar e trabalhar em uma serraria em uma cidadezinha no meio do nada. O tutor da vez é um homem que misterioso que vive cercado de fumaça de charuto e tem um nome tão difícil que todos o chamam apenas de Senhor e que em troca da proteção dos Baudelaire os faz trabalhar em sua serraria.

Por mais absurdo que pareça ser o  plano do Senhor parece dar certo, já que passa-se um tempo e nada do conde Olaf aparecer, porém Klaus começa a sofrer vários acidentes em quais sempre quebra os óculos, fazendo com que visite o único oftalmologista da cidade. Ao voltar das consultas suas irmãs percebem que ele sempre volta diferente e resolvem investigar encontrando um médica e uma recepcionista nada comuns.
Por mais que os livros pareçam lindos e com belas ilustrações, não se deixem levar e lembrem que eles contem histórias horríveis e tristes. Histórias das quais são narradas de um jeito peculiar por um homem melancólico que prometeu contar a história completa dos órfãos Baudelaire ao mundo e que dedica cada livro a uma mulher de nome Beatrice, da qual nada se sabe. 

Alias, não saber quem é Beatrice é apenas um dos mistérios dessa série, que possui outros muito mais complexos como por exemplo: os adultos que são incapazes de acreditar nas crianças e ver por trás dos disfarces completamente mal construídos do conde Olaf ou como pode haver uma pessoa tão ruim em achar tutores para os órfãos como o Sr. Poe?
Desventuras em série é aquele tipo de livro que por mais que sabemos que iremos sofrer e não tirar nenhuma centelha de felicidade, nos instiga a continuar seja pela narrativa repleta de referencias, pelo humor negro, pelo personagens que se ama odiar ou pela esperança de que um dia os órfãos Baudelaire irão ter uma vida feliz

Parceria | Luiz F. Faria autor da série The Dark World

Hey ah! 

O ano está começando com várias novidades, e como podem ter lido no título temos um novo autor parceiro aqui no blog. Vamos conhecer um pouco mais? 

BIOGRAFIA:
Luiz Fernando FariaL.F.Faria é escritor, ator, compositor e publicitário nascido em Jaboticabal, interior de SP. Apaixonado por séries e ficção científica desde pequeno, começou a escrever roteiros para peças de teatro da companhia local e depois para a televisão, após trabalhar no canal Disney Channel Brasil como ator em duas temporadas da série Quando Toca O Sino. 
Quando entrou para a faculdade de publicidade teve a ideia de escrever o seu primeiro livro e disso resultou na vontade de desenvolver uma trama totalmente nova e diferente do que já havia trabalho. Então começou a escrever a série The Dark World em 2013 em seu tempo livre até que a estória de John se tornou seu passatempo diário. 
Atualmente ele divide o seu tempo escrevendo os cinco volumes da série e produzindo o seu primeiro EP, “Concrete”, com lançamento previsto para 2017.


Vamos saber um pouco mais sobre a obra?



O que você faria para sobreviver?
John Blake acorda perturbado em uma manhã quente de um verão londrino qualquer, após um pesadelo que mal ele sabia que poderia mudar toda a sua vida e também o seu primeiro trabalho. Quando ele chega ao Acampamento Blue Light, as coisas ficam obscuras e sombrias de um jeito que ele nunca imaginou: de noite humanos transformados em criaturas sem alma - Imortais - invadem o local e a destruição começa.
John não sabe com quem contar e se acredita que aquilo é real ou não. No meio do caos, ele conhece Ryan e Charlotte – dois jovens funcionários do acampamento – que também tentam fugir. Criando uma aliança eles seguem em direção a desconhecida e medieval cidade de Wells, onde tudo o que eles encontram é a escuridão.
Unindo as suas forças, desvendando mistérios e criando novos, eles irão lutar para sobreviver ao desconhecido enquanto o governo finge que não vê todo o caos na cidade e um homem misterioso surge tentando matar John e seus dois amigos mesmo que eles sobrevivam a tudo, e mesmo que isso significa destruir a humanidade.
Sobreviver é a palavra chave e as suas vidas estão prestes a mudar de um jeito que não haverá mais volta. “Escuridão” é o primeiro volume da série The Dark World, de L.F.Faria.

Segue algumas redes sociais para vocês stalkearem.

 

Eu gostei bastante da proposta do livro e em breve irei começar a ler e claroo teremos a resenha! 

Se vocês já leram ou ouviu falar deixa ai nos comentários! :)

Sorteio | 5 Anos do Blog Lendo e Escrevendo

Hey-ah!

Faz um tempo desde do nosso último sorteio, então pensei que seria legal trazer mais sorteios esse ano aqui no blog, e para começar temos o sorteio de comemoração de 5 anos do blog Lendo e Escrevendo da Pati. Além do A Universitária temos outros blogs participando também: Every Little Book Doces Letras, Memories of the Angel, Meu Vicio em Livros e o VinteCinco Devaneios que você pode conhecer clicando em cada um.




Serão sorteados 3 Kits, dois deles contendo 3 livros e o outro com 4 livros. Espero que gostem e não se esqueçam de conferir as regras para participar e que a sorte esteja ao seu favor.


Tudo tem uma primeira vez – Memories of the angelSou Luna – Doces LetrasQuando o amor bater à sua porta – Lendo e Escrevendo





A Bela e o Ferreiro – Meu vicio em livros / Se eu ficar – A UniversitáriaA transformação de Raven – Lendo e EscrevendoO Príncipe das Sombras – Lendo e escrevendo





Frozen – Every Little Book Ladrão de Almas – Vintecinco Devaneios /Dias infinitos – Lendo e Escrevendo



Agora não esqueça de ler as regrinhas importantes abaixo assim não vamos ter problemas. :)

1. As inscrições começam hoje e vão até o dia seis de fevereiro (o resultado será divulgado neste mesmo post no dia 09 de fevereiro);

2. Os participantes devem residir em território nacional;

3. Curtir a página dos blogs no facebook (apenas dos kits aos quais você deseja concorrer);

4. Cada kit terá UM ganhador(a);

5. Perfis falsos ou de uso exclusivo para promoções serão desclassificados;

6. Os ganhadores serão contatados por e-mail e terão um prazo de 3 dias (72 horas) para responder com todos os dados completos para o recebimento do prêmio. Caso contrário, será desclassificado e um novo ganhador será sorteado;

7. O ganhador do kit 2 terá que comprovar ter mais de 18 anos devido ao conteúdo do kit;

8. O envio dos prêmios será realizado em até 60 dias úteis, sendo responsabilidade de cada blog participante enviar o livro cedido. Lembrando que o A Universitária é responsável pelo envio do livro "Se eu Ficar". 

9. Os blogs não se responsabilizam por danos ou extravios dos Correios.

10. Dúvidas ou problemas com algum dos formulários contate o Lendo e Escrevendo no Facebook ou por e-mail dicalivros@gmail.com.

Bom é isso pessoal, aproveitem e não se esqueçam de me avisar ai nos comentários que estão participando. :) 

No final de Fevereiro teremos outra promoção, então nós companhe nas redes sociais! 

Retrospectiva Literária 2016

Vamos fazer a retrospectiva literária?  
Vamosssssssssss! 

Dessa vez vamos fazer um geral de como foi 2016, eu sinto um gostinho de decepção de não ter lido um pouco mais essa ano. Não que eu esteja odiando meu saldo, mas eu queria mais. Vamos deixar o blábláblá de lado e ir para as perguntas. 

1-Quantos livros você leu?
2015 - 25 Livros.
2016 - 17 Livros.
Como eu disse 2016 não foi lá dos melhores, alguns meses li mais livros e em outros acabei não terminado nenhum. Pelo menos todas as leituras que fiz foram boas, então valeram apena apesar do número baixo. 

2-Quantos livros você comprou?
Comprei 11 e Ganhei 7. 
Me controlei bastante, na bienal comprei somente 7 livros. Acho que o ano inteiro foi resumido em comprar somente o que estava querendo ler de fato como uma continuação ou um livro que estava aguardando o lançamento. 

3-Quantos livros você marcou como desejado?
No momento tem 40 no Skoob, mas acredito que eu não tirei nenhum em 2016, pois eu meio que não organizei em 2016 a minha lista de desejados. 

4-Quantos livros você trocou?
Fiz somente uma troca em um Sebo, o que foi um mega avanço! 

5-Quantos livros você deu de presente em 2016?
1. 

6-Qual o número do seu paginometro?
2015 - 70.952
2016 - 77.160
É acho que foi bom, mais de 6 mil páginas. :)

7-Quantas resenhas você escreveu?
Eu escrevi 10 e no blog tivemos o total de 24 em 2016.
Você pode conferir todas neste link

8-Quantos históricos de leitura você escreveu?
Acho que fiz histórico de todos os livros que li. :)
9-Qual a sua meta de leitura para 2017?
Minha meta para 2017 será de 40 livros o mesmo do ano passado. 

Essa foi a minha retrospectiva de 2016, que me serviu bem para mostrar o que eu li e o que eu não cumpri em 2016, mas não vamos chorar pelo leite derramado 2017 já chegou e está na hora de definir novas metas. 

Ah, não esquece de me falar ai nos comentários o que achou e claro fiquem a vontade para fazer nos blogs de vocês. :)

Resenha | Biblioteca de Almas - Ransom Riggs

Ano: 2016
Páginas: 416
Editora: Intrínseca
Nota:
Se me perguntarem qual foi a melhor coisa da adaptação cinematográfica de "O lar das crianças peculiares" vou dizer com certeza que foi a rapidez com que os livros do restante da trilogia foram lançados aqui no Brasil. Se antes tive que esperar 3 anos para ter o segundo livro em mãos, agora tive foram apenas 6 meses para saber o desfecho dessa história fascinante.

Na Londres nos dias atuais Jacob, Emma e Addison se veem correndo contra o relógio tanto para a salvar as ymbrynes e seus amigos que foram raptados pelos acólitos quanto para não envelhecem por estarem fora de suas fendas. Com a descoberta de um novo uso de sua peculiaridade, Jacob se vê mais confiante em adentrar o Recanto do Demônio, uma fenda que abriga o pior do mundo peculiar e possível local para a fortaleza dos acólitos.

Depois da grande revelação do livro passado, finalmente sabemos mais sobre as circunstâncias que levaram a criação dos etéreos, assim como sobre sua natureza. Essa com certeza foi a parte que eu mais gostei no livro, pois se antes eu via os etéreos como grandes monstros, agora até que simpatizo um pouco com eles ^^

O novo cenário nessa história, o Recanto do Demônio, também causou um novo olhar só que dessa vez aos peculiares. Nos livros anteriores os que nos eram apresentados tinham uma extrema boa índole, já no Recanto conhecemos outra face desse mundo, onde todos tem segundas intenções e usam sua peculiaridade para fins próprios. Uma pena que tivemos essa nova visão apenas no último livro, pois considero isso uma grande adição ao mundo criado pelo autor que poderia ser mais explorado.

O desfecho da história foi cheio de reviravoltas, a cada página virada eu pensava que ela ia acabar de um jeito diferente e várias vezes fiquei com medo do destino final do Jacob. Quando por fim o livro terminou, fiquei com aquela sensação de "cadê o resto desse capítulo?" e imediatamente me deu vontade de reler a série.

Mais uma vez a Intrínseca fez um ótimo trabalho, manteve o excelente padrão do livro anterior e ainda pra me salvar do meu TOC vão relançar o primeiro livro também em capa dura. Dá pra perceber que a editora está apostando nesse estilo e eu apoio inteiramente ^^

Biblioteca de Almas foi um ótimo final para essa história, mas não é o fim do mundo peculiar. O Ransom já confirmou que pro ano que vem já está preparando mais histórias sobre Jacob e os peculiares só que dessa vez na América! Quem aí já está animado pra ver como esses personagens vão se virar nos dias atuais?

Resenha | O Crime do Vencedor #02 - Marie Rutkoski

Como prometido, olha eu aqui para falar da sequência maravilhosa do livro A Maldição do Vencedor e a pergunta que não quer calar é: como vou sobreviver até o lançamento do último livro ? Ok isso é um pouco dramático da minha parte, mas é real depois do final desse livro.

O crime do vencedor
Ano: 2016
Páginas: 360
Editora:  Plataforma21
Compre
Nota:


Relembrando os acontecimentos do primeiro livro "A Maldição do Vencedor" vai contar a história de Kestrel uma jovem Valoriana, que em um ato de rebeldia acaba comprando um escravo. O que ela não imaginava era que Arin não era um simples escravo, ele foi escolhido para saber como funcionava a residência onde o General Trajan, pai de Kestrel morava. Infelizmente, essa tarefa acaba se tornando mais delicada porque Arin começa a ter alguns sentimentos pela Kestrel. 

No final do primeiro livro, Kestrel fez um acordo arriscado com o imperador para garantir que a população de Herran não sofresse punição maior pela revolução que foi feita. E Arin deve ser o último a saber que o noivado inesperado com o filho do imperador é relacionado a isso.

Nesse livro temos muito mais diplomacia, política e principalmente jogo de poder. Além disso a autora Marie Rutkoski nos trouxe mais histórias dos povos que foram somente citados no livro anterior.

romance nesse livro eu confesso que fiquei com muita dó deles, por conta do acordo feito com o Imperador a Kestrel não podia se aproximar de Arin, então em ambientes onde tinha outras pessoas eles tinham que se tratar como estranhos e quando estavam juntos eles sofriam porque não acreditava um no outro. E Tinha o peso do segredo e a tentativa falha de salvar um ao outro.

E por diversos momentos eu fiquei angustiada pela ousadia dos dois e em outros momentos eu só queria bater neles que não conversavam entre si. E o final me fez chorar, claro que não vou contar para vocês só lendo para saber. 

Esse livro é com toda certeza mil vezes melhor que o anterior, os personagens estão bem mais maduros e a trama te prende de um jeito que leitura flui e em poucas horas você já está na metade do livro.

Queria adicionar que essa edição está maravilhosa, a leitura foi muito mais confortável acredito que pelo tipo de folha e o tamanho das letras. Eu geralmente não comento muito sobre a edição do livro foco mais na história em si, mas dessa vez tive que comentar por senti a diferença.






Além disso essa capa é maravilhosa! Obrigada Plataforma21 por manter a capa original. ❤

Resenha | A Rainha Vermelha - Victoria Aveyard


Quem me companha aqui no blog a mais tempo já sabia do meu hype pelo livro "A Rainha Vermelha" ele estava tão grande na época que eu comprei a versão em inglês e não li. Sim, eu não consegui ler. Não por que o livro era ruim, mas porque o começo dele é realmente meio lento e não me prendeu.
Depois de ter ganhado o exemplar no Encontro de Booktubers no começo do ano, eu resolvi dar uma chance agora e não é que engatou a leitura?!.
A Rainha Vermelha
Ano: 2015
Páginas: 422
Autora: Victoria Aveyard
Nota

Como sempre em uma boa distopia, A Rainha Vermelha também tem o seu mundo.

Dividido entre os prateados e os vermelhos, nossa protagonista Mare Barrow é uma vermelha ou pelo menos é isso que ela pensava. Ela cresceu em uns dos vilarejos mais pobres do reino de Norta e para tentar ajudar a família ela fazia alguns furtos. Após uma reviravolta em uma de suas tentativas de conseguir uma grana para a família ela acaba justamente roubando o príncipe Cal, não que ela tenha reconhecido ele de primeira, mas após uma breve conversa esse cara misterioso acaba conseguindo um trabalho no palácio real.

No primeiro dia de trabalho no palácio, na Prova Real um festival para saber qual prateada represente das Grandes Casas nobres, será próxima princesa que se casará com o Príncipe herdeiro do Reino de Norta. Mare acaba se colocando em risco e em uma tentativa de salvar-se acaba descobrindo que tem poderes. Poderes como de um prateado, o que é impossível pois ela sempre teve certeza que é uma vermelha.

Ela não é uma vermelha como os outros, ela é "um novo tipo de vermelho" que vai ameaçar o mundo dos prateados.

Para desviar o foco de que ela é uma "vermelha", é decidido pela Rainha que ela será anunciada com uma filha perdida de um general prateado, e por isso foi criada por vermelhos. E até um casamento com o príncipe Maven, o príncipe mais novo é arranjado para esconder e ocultar mais detalhes sobre ela. 

Claro que no meio dessa situação toda, Marie só aceita o que estão propondo até porque ela sabe que se opor a um prateado e ainda mais a família real não seria uma boa ideia.

Antes de ler a série Rainha vermelha, eu já sabia que tinha o grupo que tinha gostado da série e aqueles que tinha odiado. Bom, eu sou o grupo que gostou e muito. Eu não achei o tema da série saturado, tipo mais do mesmo.

Achei que ficou bem centrado, os problemas sociais dos vermelhos foram explicados de cara, ainda mais pela narrativa do livro ter sido em primeira pessoa, veio com várias influencias da personagem.

Nesse primeiro livro o poder da Mare não foi muito explicado, temos um pouquinho aqui e ali de explicação graças a um dos personagens secundários e por outro lado aprendemos mais sobre os reinos que existem e sobre as casas. Todos os prateados são classificados de acordo com sua casa, poder e cor. A propósito eu achei um site bem legal em PT-BR que lista todos que aparecem no primeiro livro. (Link

E claro que teremos um pouco de romance também, um pouco contido. Mas teremos, algo engraçado do romance desse livro é que ele não é um triangulo amoroso e sim um quarteto. Bom eu considero um quarteto já que temos o Cal o príncipe mais velho e herdeiro que alguns momentos parece ter alguns sentimentos por ela. Kilorn, o melhor amigo de infância e que ela tenta salvar no inicio do livro de ir a guerra e Mavin o príncipe mais novo que de todos é o que parece ela nutre menos sentimentos de paixão, mas como eles passam muito tempo juntos acredito que se não fosse por alguns detalhes rolaria algo entre eles também. Complicado né? Ainda bem que esse nem é o foco principal do livro então não chega incomodar. 

Como comentei achei o começo do livro um pouco parado,  mas em compensação o final do livro foi ótimo. Recomendo já pegar o segundo livro pra ler, porque ele mantem o mesmo ritmo do final do livro.

O livro foi lançado pela Editora Seguinte e já temos o segundo lançado no Brasil assim como dois contos digitais e um livro físico extra que conta um pouco sobre a Rainha. 


Eu espero que tenham gostado da resenha, não esqueçam de comentar o que acharam. :)

Resenha | A Maldição do Vencedor - Marie Rutkoski


A Maldição do Vencedor vai contar a história de Kestrel, uma jovem valoriana que só quer ser dona do próprio destino. Infelizmente, as opções dadas por seu pai o poderoso General de Valória não lhe agradam, casar ou alistar-se no Exército nenhuma das opções parecem boas.

A Maldição do Vencedor
Ano: 2016
Páginas: 368
Editora: Plataforma21
Compre



No meio dessa tentativa de conseguir ser dona do próprio nariz, ela acaba comprando um escravo em um leilão, digamos que essa não foi uma das decisões mais sabia de sua vida. Arin não é um escravo qualquer, e acaba fazendo com que ela queira descobrir o que ele esconde.

Esse ato acaba não saindo de sua cabeça, e o jeito difícil do escravo faz com que ela comece a fazer dele seu acompanhante quando tem que sair para a cidade ou para a casa de um conhecido. Uma vez que ela não é casada nem faz parte do exército deve estar acompanhada quando sair.

E assim eles vão se aproximando e uma amizade meio conturbada vai nascendo. Conturbada, pela posição que eles se encontram: Arin hoje um escravo herraniano, foi obrigado a sair de sua casa e começar a servi  valorianos como todos os outros cidadães de Herran, quando o General Trajan, pai de Kestrel conquistou sua terra.

Falando um pouco do romance do livro eu não achei tão pesado, como foi aos poucos e de forma sutil eu pude aceitar sem achar que ficou forçado a história deles.

Kestel foi uma das personagens que me surpreendeu, eu não tinha noção da capacidade dela quando comecei a ler a série. Para uma jovem de 17 anos, ela é bem decidida, ambiciosa e muito corajosa. E em alguns momentos ela é tem um pouco de sangue frio quando faz algumas propostas para o General, seu pai.

Ele tenta por diversas vezes convencer a filha a alistar-se no exército e lutar na guerra ao seu lado. Outra coisa que incomoda profundamente o pai de Kestrel é o amor dela pela música, principalmente por tocar piano como sua falecida esposa fazia. 

Arin também teve sua construção bem elaborada principalmente o lado todo misterioso, o bom é que o livro é contato pelo ponto de vista de ambos, então você tem uma boa noção do que eles estão pensando de cada um.

E para concluir esse livro me surpreendeu em diversos fatores que me fez amar essa obra de primeira, muito se deve pela narrativa do livro que foi bem escrita. O jogo de política que é tratado no livro e até as jogas bem elaboradas da Kestrel fez com que eu amasse a leitura.

Dona Pitty fazendo participação especial na foto. ^^^

Eu já li o segundo livro da trilogia e em breve sai a resenha também!
E já adianto que o final desse livro vai te fazer querer ler o próximo sem pensar duas vezes. Aproveita e compre o segundo livro para não ter que ficar morrendo de ansiedade. E essa edição está maravilhosa né, ótimo trabalho da Editora Plataforma 21.

Evento | Comic Con Experience 2016 : Eu vou!

Avisa a Ludmila que é hoje! 

Hoje começa os quatro dias mais legais do ano ( 1/12 á 4/12) para o mundo geek aqui no Brasil! 
Sim, estou falando da Comic Con Experience o maior evento de cultura pop da América latina. Esse ano está recheado de convidados especiais e promete ser ainda maior. 


Infelizmente esse ano só poderei acompanhar um dia do evento, comprado bem de última hora. Porque será eu sempre deixo pra última hora?

Esse ano o evento continua no São Paulo Expo e está ainda maior e com muito mais conteúdo. Além dos stands das maiores empresas e studios também terá 3 maravilhosos auditórios o Cinemark, Ultra e o Prime. Vale lembrar que o auditório Cinemark é enormeeeeeeeeeeeeeeeeee tem capacidade de 3.500 pessoas.

Claro que além do conteúdo dos auditórios, os stands terá bastante diversão para quem não quiser enfrentar a fila. 

Agora vem a parte mais interessante atores e atrizes confirmados! Gostaria de um vira-tempo para poder aproveitar tudo! 



Mark Pellegrino que fez a série Supernatural. 
Milla Jovovich de Resident Evil. 
Vin Diesel preciso comentar? 
Nina Dobrev de The Vampire Diaries
Neil Patrick Harris nosso eterno Barney
Evanna Lynch querida Luna de Harry Potter
Vem toda a trupe da série Shadownhunters < 3 
Natalie Dormer de Game Of Thrones
E muito mais!!!!! 

A programação completa você pode conferir no site da CCXP

Oh! Queria dizer que a CCXP não é só atores famosos e tals. Tem uma área super bacana chamado Artists Alley onde tem vários quadrinistas e ilustradores. Super recomendo uma passada lá para conferir o trabalho deles! 

Eaí quem vai também? 
Estarei no domingo se você quiser dá um alô no Twitter! @Rayray_oliveira