Review | Maze Runner : Correr ou Morrer

Acho que nunca  me diverti tanto assistindo um filme no cinema como foi dessa vez com Maze Runner, eu consegui resistir por duas semanas para ir com a Thássia minha amiga e em breve nova colaboradora do blog, imagine duas pessoas que já leram os livros e que comenta durante o filme, tive a sensação que os dois caras que estavam sentados ao nosso lado não curtiram isso muito. 


Lançamento:18/Set - Duração: 1h54mim - Dirigido: Wes Ball - Gênero:Ação, Ficção Cientifica, Aventura - Nota:4 


Vamos ao filme, Maze Runner conta a história do Thomas que acorda em um elevador a caminho de um local desconhecido, quando chega ele se depara com uma grande clareira onde só tem garotos, ele não tem nenhuma lembrança antes de chegar no local a unica coisa que sabe é o seu nome. Lá ele tem que se adaptar as regras não é porque ele chegou que vai fazer o que quer. Aos poucos ele vai entendo o história daquele lugar principalmente o misterioso labirinto. Tudo muda quando Teresa chega ao lugar pois ela reconhece o Thomas. 

Varias coisas aconteceram diferentes do livros, mas deram certo principalmente o elo que a Teresa e o Thomas tem que foi retirado.O final ficou a desejar já que mudaram uma coisas, a Thaty ficou bem mais brava que eu nessa parte pois a forma que acabou impacta no terceiro filme, sim já foi confirmado o terceiro filme que não será divido em dois como a maioria dos adaptações de trilogia. 




O personagem do Chuck era o melhor me fez rir várias vezes durante o filme porque todas as vezes que ele apareceu eles estava descascando alguma coisa. O ator Dylan O'Brien me convenceu como Thomas principalmente no quesito cara de desorientando. 

Ao todo o filme me conquistou, mesmo com as mudanças do livro não foi um Percy Jackson da vida, que nos agradecemos por isso. A nota vai ser 4/5. 

Comentário bônus do filme: Tem uma cena onde o Thomas e o Minho estão no labirinto, em algum momento eles vão se separar cuidado! Não se preocupe com os Verdugos o Minho vai aparecer e te assustar. Eu pulei na cadeira nessa momento no cinema. #mico. 


0 comentários:

Deixe seu comentário