Resenha | The Kiss of Deception - Mary E. Pearson

Ano: 2014
Páginas: 492
Editora: Henry Holt
--------------------
Ano: 2016
Páginas:406
Editora: Darkside Books
Há uns 2 anos que The Kiss of Deception está no meu radar, quando todo mundo do booktube gringo não parava de falar sobre um livro onde uma princesa estava sendo perseguida por um assassino e pelo príncipe com o qual deveria se casar só que nem ela e nem o leitor sabiam quem era quem. Tendo essa como a linha principal da história é claro que fiquei curiosa e comprei o livro, que ficou parado na minha estante durante 1 ano até que o lançamento dele aqui no Brasil pela Dark Side me fez lê-lo.

The Kiss of Deception conta a história da princesa Arabella Celestine Idris Jezelia, ou Lia (como gosta de ser chamada), a primeira filha da família real de Morrighan. Reino esse que tem sérios conflitos com o reino de Dalbreck e para amenizá-los e criar uma aliança decide-se que a primeira filha Morrighan, ou seja Lia, se casaria com o príncipe de Dalbreck. Acontece que ela não quer casar com uma pessoa que ela nunca viu na vida e nunca encontrar o amor, por isso nas vésperas de seu casamento ela resolve fugir com sua melhor amiga e criada, Pauline.

Elas vão para a cidade de Terravin onde a madrinha de Pauline mora e é dona de uma taverna. Ali e as duas começam a trabalhar iniciando a tão sonhada vida longe de toda a pressão que Morrighan oferecia. 

Com a fuga de Lia, o príncipe de Dalbreck fica curioso a seu respeito e resolve procurá-la para finalmente conhecer a garota que quebrou o acordo e fugiu, coisa que ele mesmo estava cogitando mas não realizou por falta de coragem. Além do príncipe outra pessoa está atrás de Lia, um assassino enviado pelo reino de Venda, para garantir que a aliança não seja feita e o reino deles ameaçado. Assim, os dois encontram Lia trabalhando na taverna e cada um a seu modo tenta ganhar a confiança da princesa para e alcançar seu propósito. 

Assim como a protagonista, não sabemos quem é quem, já que os capítulos referentes aos rapazes são intitulados como "assassino" e "príncipe" ou aos nomes que eles dão pra ela "Rafe" e "Kaden", mas mesmo assim os capítulos com os nomes são muito vagos e só vamos descobrir a identidade de cada um ao mesmo tempo em que a personagem; Esse recurso é a melhor parte do livro, pois é divertido ler várias vezes as cenas e tentar descobrir antes dela (posso falar com orgulho que eu descobri ^^). Aliás toda a primeira metade do livro, que é justamente o príncipe e o assassino tentando conquistar Lia, foi a mais sofrida pra mim. Por mais que tenha esse mistério a narrativa é muito arrastada, sem contar nas cenas de romance que me faziam a cada página torcer para que o livro não fosse inteiramente daquele jeito.

A história só começou a ficar um pouco mais interessante na segunda metade quando mitologia da série começou a ser explorada, pois no mundo de Lia as primeiras filhas são agraciadas pelos deuses com um dom (algo como um sexto sentido), mas Lia nunca o manifestou e acredita que nasceu sem ele. Ao meu ver a mitologia foi pouco explorada para um livro de fantasia, o que me deixou bem decepcionada e torcendo para que essa carência seja suprida nos próximos, mas acho que isso foi pelo fato de estarmos acompanhando tudo pelo ponto de vista da Lia e ela também não saber muito sobre o assunto.

Ao terminar a leitura tive a impressão que me venderam o livro de forma errada. Eu estava esperando por um jogo de príncipe e assassino muito mais frio, sem nenhum romance e um mundo muito mais explicado, mas se você enxergar o livro como gênero jovem adulto (coisa que ele de fato é), vai se surpreender. Mesmo assim irei continuar com a série (com menos expectativas), porque pelo o pouco que eu vi a mitologia desse mundo promete.

Viagens | Visitando "Hogwarts" em Oxford

Esse ano fazem 2 anos que conheci a terra da rainha e durante o intercâmbio a escola em que eu estava fez uma excursão para Oxford e é claro que como fã de Harry Potter sabia que era lá que ficava a Christ Church College, lugar onde foram feitas as filmagens do interior de Hogwarts, então não pensei duas vezes em comprar minha passagem ^^

A Christ Church College é maior faculdade de Oxford. Além de faculdade é uma igreja da diocese de Oxford e também já foi locação do filme a bússola de ouro. Ela é aberta para visitação todos os dias e é cobrado uma taxa que depende de que partes que você deseja visitar, quando eu fui escolhi o ticket padrão para ver tudo e paguei £7 por ser estudante, mas vá ao site para verificar os outros tipos de ticket.

Ao entrar no local imediatamente você já pensa OMG estou Hogwarts!! E automaticamente começa a imaginar que a qualquer momento irá encontrar algum aluno conversando pelos corredores ou esbarrar em algum professor.

Além disso a cada passo que você dá, o cérebro começa a trabalhar e pensar qual parte do filme foi filmada ali. Eu por exemplo,tive um mini infarto quando vi essa escadaria, pois ela é nada mais nada menos do que a escadaria que dá para o grande salão e também de onde Hermione e Rony veem o Harry pela primeira vez depois que ele tem o encontro com Voldemort no primeiro filme.


O grande salão de Hogwarts não foi filmado no dining hall da faculdade (os produtores acharam melhor fazer uma replica em estudio), mas serviu de grande inspiração. É importante falar que o dining hall é fechado das 11:40 ás 14:30 então caso deseja visitar o local compre ingressos para fora desse horário.


Pra finalizar olha só o que eu e uma amiga encontramos em uma rua próxima a faculdade. É que claro não podíamos deixar essa passar e tirar uma foto XP

Video | 5 autoras nacionais que você precisa conhecer

Alguém disse: Tem vídeo novo?

É isso Brasil tem vídeo novo no canal, problemas técnicos a parte eu finalmente liberei o vídeo onde falo sobre 5 autoras nacionais que eu amo e que vocês precisam conhecer.

 Confesso que não foi nada proposital ter somente mulher nessa lista, mas espero que gostem!




Links das resenhas comentados no vídeo.


Os demais livros das autoras infelizmente eu não tenho resenha aqui no blog, mas deixarei os links do skoob para que vocês possam conhecer.


Como eu sou legal e não podia deixar outros autores incriveis de fora, deixei um plus aqui pra vocês de outras autoras!


Espero que vocês tenham gostado e não se esqueça de curtir e deixar seu comentário. ^^

Resenha | A Coroa - Kiera Cass

Ano: 2016
Páginas: 312
Editora: Seguinte
Compre
Vou começar esse post com a frase que mais pensei durante a leitura: "Grandes expectativas, podem gerar grandes decepções". Sim, infelizmente eu não amei A Coroa o tanto quanto eu pensei que amaria, mas eu também não achei a pior coisa do mundo. Foi uma leitura ok, divertida porque convenhamos a escrita da Kiera é maravilhosa, mas eu estava mais preocupada com a condição da America do que com que a Eadlyn iria ficar. 

Nesse livro vemos uma Eadlyn bem diferente da que vimos no primeiro livro, pois com o ataque cardíaco da mãe e com o pai destabilizado com medo de perder a esposa, a herdeira se vê na posição de ter que assumir o trono mais cedo do que o esperado. Se antes vimos uma princesa arrogante, egoísta e mimada, agora a vemos como compreensiva, amigável e disposta a pensar primeiro nos outros do que em si mesma.

Com essa mudança de comportamento e a situação de seus pais, Eadlyn passa a levar a seleção com mais seriedade (mesmo tendo em mente que será impossível achar sua alma gêmea), elegendo os seis garotos que mais tocaram o seu coração, formando assim a Elite com Ean, Fox, Kile, Henri, Gunner e Hale. Porém conforme vai conhecendo mais os garotos ela começa a sentir algo que pode ser o amor que tanto rejeitou.

Assim como a seleção, governar o país também não se mostra uma tarefa fácil. Com um nível de rejeição bastante grande pelo povo e com várias revoltas acontecendo por causa da abolição do sistema de castas, Eadlyn precisa de toda a ajuda possível para reverter esse quadro, mas nem sempre a ajuda vem do jeito que queremos.

Meu problema com esse livro foi que eu não consegui me apegar a nenhum personagem, eu entendia as motivações deles, o porque eles agiam de tal jeito, mas pra mim foi muito rápido pra criar algum laço. O problema era tão grande que várias vezes eu esquecia como era a personalidade do selecionado X que estava falando com a Eadlyn e tendo que recorrer diversas vezes ao livro anterior. Com isso o que me fez continuar a leitura foi poder ver, nem que por pouco tempo, como estava a vida dos personagens que conhecemos na seleção da America. 

A Coroa cumpre seu papel ao dar um final condizente com o que vimos nessa nova história e nos fazer revisitar os personagens que roubaram nossos corações em A Seleção, porém não chegou a empolgar como a trilogia original e ao meu ver deveria ser considerada mais como um spin-off do que como uma continuação.