Resenha | The Kiss of Deception - Mary E. Pearson

Ano: 2014
Páginas: 492
Editora: Henry Holt
--------------------
Ano: 2016
Páginas:406
Editora: Darkside Books
Nota
Há uns 2 anos que The Kiss of Deception está no meu radar, quando todo mundo do booktube gringo não parava de falar sobre um livro onde uma princesa estava sendo perseguida por um assassino e pelo príncipe com o qual deveria se casar só que nem ela e nem o leitor sabiam quem era quem. Tendo essa como a linha principal da história é claro que fiquei curiosa e comprei o livro, que ficou parado na minha estante durante 1 ano até que o lançamento dele aqui no Brasil pela Dark Side me fez lê-lo.

The Kiss of Deception conta a história da princesa Arabella Celestine Idris Jezelia, ou Lia (como gosta de ser chamada), a primeira filha da família real de Morrighan. Reino esse que tem sérios conflitos com o reino de Dalbreck e para amenizá-los e criar uma aliança decide-se que a primeira filha Morrighan, ou seja Lia, se casaria com o príncipe de Dalbreck. Acontece que ela não quer casar com uma pessoa que ela nunca viu na vida e nunca encontrar o amor, por isso nas vésperas de seu casamento ela resolve fugir com sua melhor amiga e criada, Pauline.

Elas vão para a cidade de Terravin onde a madrinha de Pauline mora e é dona de uma taverna. Ali e as duas começam a trabalhar iniciando a tão sonhada vida longe de toda a pressão que Morrighan oferecia. 

Com a fuga de Lia, o príncipe de Dalbreck fica curioso a seu respeito e resolve procurá-la para finalmente conhecer a garota que quebrou o acordo e fugiu, coisa que ele mesmo estava cogitando mas não realizou por falta de coragem. Além do príncipe outra pessoa está atrás de Lia, um assassino enviado pelo reino de Venda, para garantir que a aliança não seja feita e o reino deles ameaçado. Assim, os dois encontram Lia trabalhando na taverna e cada um a seu modo tenta ganhar a confiança da princesa para e alcançar seu propósito. 

Assim como a protagonista, não sabemos quem é quem, já que os capítulos referentes aos rapazes são intitulados como "assassino" e "príncipe" ou aos nomes que eles dão pra ela "Rafe" e "Kaden", mas mesmo assim os capítulos com os nomes são muito vagos e só vamos descobrir a identidade de cada um ao mesmo tempo em que a personagem; Esse recurso é a melhor parte do livro, pois é divertido ler várias vezes as cenas e tentar descobrir antes dela (posso falar com orgulho que eu descobri ^^). Aliás toda a primeira metade do livro, que é justamente o príncipe e o assassino tentando conquistar Lia, foi a mais sofrida pra mim. Por mais que tenha esse mistério a narrativa é muito arrastada, sem contar nas cenas de romance que me faziam a cada página torcer para que o livro não fosse inteiramente daquele jeito.

A história só começou a ficar um pouco mais interessante na segunda metade quando mitologia da série começou a ser explorada, pois no mundo de Lia as primeiras filhas são agraciadas pelos deuses com um dom (algo como um sexto sentido), mas Lia nunca o manifestou e acredita que nasceu sem ele. Ao meu ver a mitologia foi pouco explorada para um livro de fantasia, o que me deixou bem decepcionada e torcendo para que essa carência seja suprida nos próximos, mas acho que isso foi pelo fato de estarmos acompanhando tudo pelo ponto de vista da Lia e ela também não saber muito sobre o assunto.

Ao terminar a leitura tive a impressão que me venderam o livro de forma errada. Eu estava esperando por um jogo de príncipe e assassino muito mais frio, sem nenhum romance e um mundo muito mais explicado, mas se você enxergar o livro como gênero jovem adulto (coisa que ele de fato é), vai se surpreender. Mesmo assim irei continuar com a série (com menos expectativas), porque pelo o pouco que eu vi a mitologia desse mundo promete.

2 comentários:

  1. Eu acho lindo o projeto gráfico desse livro, mas desde o começo não me chamou muito a atenção.. As resenhas que li não botaram muita fé na história.. ai desisti de ler :P

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Se eu não tivesse esse meu problema de ler um livro sabendo o mínimo possível sobre ele, acho que teria priorizado outras leituras. Mas como eu disse, dizem que o segundo livro está infinitamente melhor, então vou correr o risco e continuar ^^

    ResponderExcluir