Resenha | Boa Noite - Pam Gonçalves

Ano: 2016
Páginas: 240
Editora: Galera Record
Nota:
Sabe aquele livro que você sente que vai gostar e só de ler a sinopse já se identifica com a personagem? Isso foi exatamente o que aconteceu comigo quando li sobre Boa noite. Acompanho a Pam desde o blog Garota it e sempre gostei de todas as indicações que ela fazia, então quando foi anunciado que ela lançaria um romance eu sabia que teria que ler.

Alina é recém formada no ensino médio, está começando a sua vida em uma universidade em outra cidade e está pronta pra se livrar do rótulo de nerd e estranha que lhe perseguiu durante todo esse tempo. Na nova cidade tudo está fora da sua zona de conforto: morar em uma república, conhecer pessoas com personalidades diferentes da sua e enfrentar o preconceito dos colegas (e até professores) do curso de Engenharia da computação, que acham que mulheres não entendem nada de exatas.

A reinvenção de Alina começa a dar certo e logo ela se vê em meio a novos amigos, amores, festas, bebidas e pensamentos de que essa nova vida pode realmente lhe fazer bem. Em meio a tudo isso uma página de fofocas da universidade é criada com comentários corriqueiros sobre abusos e drogas e o Alina menos esperava era ser tragada para esse tipo de situação.

Como eu disse lá no começo, só de ler a sinopse eu já super me identifiquei com a personagem, pois estou no mundo da tecnologia desde os 16 anos e sei bem o que é sentir esse discurso de "aqui não é lugar de mulher", então durante a leitura foi fácil se colocar no lugar da personagem e saber exatamente como ela se sentia. Porém ao mesmo tempo não era tão legal ter essa conexão, já que ao ler aquilo percebi que várias outras pessoas passaram ou estão passando por isso e sério, não é nada bom.

O tema central do livro é sobre algo que até agora eu não tinha visto em nenhum do gênero: abuso sexual nas universidades. Lembro que esse tema começou a ser discutido a um tempo atrás na mídia, mas logo foi esquecido e acabou virando mais um tópico de quando se trata de bullying. E vê-lo sendo discutido novamente mostra que infelizmente ele está longe de ser resolvido.

Achei a abordagem desses temas uma ótima escolha, já que estamos vivendo um momento onde o empoderamento feminino está em alta, (aliás uma das coisas que eu mais gostei em Boa noite, foi em como a autora reforça essa ideia ao longo do romance), mas fiquei um pouco decepcionada com o modo que a protagonista se envolve com eles. Eu esperava algo mais profundo, algo que impactasse mais na vida da personagem e o modo como tudo aconteceu me deixou com uma sensação de que foi mostrado que o problema ainda existe, mas não mostrou a fundo as sequelas que aquilo pode deixar em uma pessoa.

Essa foi a primeira vez que li algo escrito pela Pam, (preferi começar por algo original do que pela releitura que ela fez em "O amor nos tempos de #likes") e mesmo com essa pequena decepção me surpreendi positivamente, ela soube tocar em um assunto delicado de um jeito que não ficou forçado e com uma escrita super fluída que você é capaz de ler o livro em uma sentada só. Então se está procurando algo que vá um pouco além dos temas padrões de YA, Boa noite é uma ótima pedida.
Tive a oportunidade de conhecer a Pam e autografar o livro na Bienal \o/

0 comentários:

Deixe seu comentário