Resenha | The Heart of Betrayal - Mary E. Pearson

Ano: 2015
Páginas: 470
Editora: Henry Holt
---------------------------------
Ano: 2016
Páginas: 400
Editora: DarkSide Books
Quando tive minha decepção ao ler o The kiss of deception, a única coisa que me fez ter vontade em continuar a série, foi o fato de que onde quer que eu lia sobre o assunto todos diziam que o próximo era infinitamente melhor, mas em tempos de que a vida é muito curta para continuarmos com livros que não gostamos, "perder tempo" em mais um livro de quase 500 páginas é muito arriscado. Resolvi confiar nas opiniões e dar mais uma chance para Lia e felizmente eles estavam certos, porque The heart of betrayal me fez sentir tudo o que eu esperava para o primeiro.

Ao fim do primeiro livro finalmente foi revelado que Kaden era a pessoa encarregada de matar Lia, porém como ele acabou se apaixonando por ela, cria histórias sobre ela possuir o dom e justificar o porque de não tê-la matado e a transformado em prisioneira. Agora Lia e Rafe são prisioneiros e veem seus destinos na mão do poderoso Komisar, o líder do reino que é capaz de tudo para ver a vitória de Venda sobre os outros.

Conforme os dias passam, Lia sofre uma desconstrução de tudo o que ela acredita ser verdade e percebe que Venda não é como lhe foi ensinado a vida toda, um lugar cheio apenas de bárbaros, mas sim um lugar que também possui pessoas boas que sofrem nas mãos dos reinos maiores. Com isso começamos a entender melhor como é a relação de Dalbreck e Morrigan com Venda dando forma a trama política que não foi tão explorada no antecessor. Isso chamou muita a minha atenção, pois tenho certeza de que o que nos foi mostrado não é nem a ponta do iceberg do que esses reinos realmente são.

Além da parte política, também sabemos mais sobre a história dos reinos através dos trechos dos testemunhos de Gaudrel e das canções de Venda. Dessa vez eu achei muito mais fácil de interpretar essa parte, (que a meu ver é a mais importante do livro)  e a cada trecho lido eu ficava imaginando como os personagens reagiriam caso tomassem conhecimento daquilo. Outra coisa que foi bom descobrir mais um pouco foi  sobre o dom da Lia. Agora deu pra perceber quando se manisfesta e para qual propósito, mas mesmo com essas "aparições", isso ainda me pareceu confuso e mal desenvolvido e espero muito que tudo isso seja explicado no próximo livro.

A nova localização dos protagonistas, fez como que um novo ponto de vista seja adicionado a narrativa e agora também vemos um pouco de como as coisas do outro lado estão acontecendo através dos olhos de Pauline, que por ser deixada para atrás está fazendo tudo ao seu alcance para libertar Lia de seus captores.

Alias, o desenvolvimento dos personagens está de parabéns nesse livro, já que o romance foi deixado de lado (ele ainda existe, afinal depois de tantas mentiras Kaden e Rafe ainda lutam para se fazer dignos do amor de Lia) e a construção dos personagens foi posto em primeiro plano. A Lia deixou de ser uma garota tão ingênua e agora está se descobrindo mais forte e que pode jogar no mesmo nível dos poderosos, Rafe está aprendendo a controlar seus instintos e Kaden, que na minha opinão teve o melhor desenvolvimento, conta a Lia um pouco mais de sua infância e de como se tornou o assassino de Venda.

The heart of betrayal cumpre bem o papel de segundo livro da trilogia, trazendo mais conteúdo sobre o mundo criado e explorando mais os personagens, porém muitas pontas ainda ficaram soltas o que me faz pensar que a autora vai ter um pequeno trabalho para amarrar tudo no último livro. Em geral o livro foi muito satisfatório e mal posso esperar para ter o próximo em mãos e descobrir o que vai acontecer com a Lia.