Resenha | A guardiã de histórias - Victoria Schwab

Ano: 2016
Páginas: 322
Editora: Bertrand Brasil
Nota:
Tenho um problema chamado: não consigo gostar de algo e não ficar obcecada por ela, então depois de ler um tom mais escuro de magia e ficar com um gosto de quero mais, fui correndo pegar outro livro escrito pela Victoria Schwab para saborear mais uma vez cada palavra e viver mais uma vida criada por essa maravilhosa autora.

Mackenzie é uma adolescente com uma vida marcada pela perda. Aos 16 anos viu seu irmão e avô saírem da sua vida de uma hora para outra e pra melhorar ela possui como "trabalho" impedir que as histórias escapem para o mundo dos vivos e esse trabalho faz com que superar a morte dos entes queridos se torne algo muito mais difícil.

Na mitologia da série o mundo é dividido em três níveis: o mundo externo, estreitos e arquivo. O mundo externo é mundo dos vivos, o arquivo é onde as histórias são guardadas e os estreitos é o que liga os dois mundo e pra onde as histórias fogem quando acordam.

As histórias são mais ou menos como se fossem nossas almas, ela é composta por nossa essência, experiências e lembranças e quando morremos a história sai do nosso corpo físico e vai descansar para sempre no arquivo. Porém algumas vezes as histórias acordam desse descanso e tomados pela confusão e pela revelação de estarem mortas acabam fugindo para o mundo exterior.

Para manter a a ordem no arquivo existem os bibliotecários, que são pessoas que cuidam do lugar, garantindo que as histórias continuem dormindo e quando elas fogem designam os guardiões aos locais para resgata-las.

Mackenzie é uma guardiã que herdou a profissão de seu avô quando tinha apenas 11 anos e desde então sempre foi muito boa em seu trabalho. Tudo começa a mudar depois que ela muda de casa, após a morte de seu irmão e começa a reparar que muitas histórias estão acordando ao mesmo tempo e tudo isso parece estar fortemente ligado a um assassinato que ocorreu em seu novo lar.

Mais uma vez fiquei maravilhada com esse novo mundo da Victoria, a história é tão envolvente e única que foi quase impossível para mim soltar o livro para fazer outra coisa. Esse livro é mais um daqueles YA que saem um pouco da curva do apenas entreter, ele te faz pensar e muito sobre uma coisa que nem todos gostam: a morte. Por ter perdido duas pessoas muito queridas e ser uma guardiã, a personagem principal reflete muito sobre a morte, como ela acontece para todo mundo, como isso afeta as pessoas, sobre como é difícil aceitar o fato de que nunca mais iremos ver aquelas pessoas novamente e como é difícil seguir em frente.

O jeito como a autora explora esse tópico no livro foi simplesmente perfeito. Não ficou uma coisa forçada, mas sim uma modo de entender mais sobre a Mackenzie e  ao mesmo tempo sobre nós mesmos, sobre como reagiríamos se estivéssemos passando pela mesma situação da protagonista.
A narrativa é feita em primeira pessoa e por conta disso em algumas partes em que a Mackenzie está contando sua história parece que ela está conversando com a gente e pra mim foi esse recurso que me fez me sentir mais próxima dela e dos sentimentos que ela tem durante todo esse período de luto.

Mas não se engane, mesmo se tratando de um livo com um tema central um pouco pesado ele ainda é uma leitura gostosa e instigante, pois ela é cheia de flashbacks que te deixam com aquela vontade de conhecer ainda mais do que aconteceu e como essas histórias irão afetar o rumo da trama. Além de ter capítulos curtos e repletos de plot twists, que me deixavam em desespero para descobrir o que ia acontecer na próxima página e me lembrava muito de quando eu estava lendo Game of Thrones ^^ .

A única coisa que eu não gostei foi o fato de terem mudado a capa original. Eu já tinha acostumado tanto com aquela capa com a chave e o rosto na fumaça que quando vi esse livro na livraria não reparei que se tratava do mesmo livro que eu via no booktube gringo e só fui cair por mim quando vi um vídeo de um booktuber brasileiro falando que era o mesmo livro.

A guardiã de histórias é um livro completo, que além de nos dar uma boa aventura nos faz pensar em algo mais e que pra melhorar faz parte de uma série, ou seja, tem mais livros pra serem lançados. O segundo "the unbound" ainda sem data de lançamento no Brasil e "the returned" que ainda está sendo escrito pela Victoria e não tem data de lançamento.

2 comentários:

  1. Oi, Thaty. Eu ainda não li essa história mas me interessei muito quando ela foi lançada. Mesmo não gostando de fantasia, acredito que a autora conseguiu construir uma história maravilhosa, ainda mais pelas suas notas. Espero gostar!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  2. Olá Miriã.

    Leia sim a Victoria sabe contar histórias como ninguém. Alías se você puder aproveita que ela vem pra Bienal do Rio para conhecer ela ^^

    bjss

    ResponderExcluir