Resenha | Filha das Trevas - Kiersten White

Ano: 2017
Páginas: 472
Editora: Plataforma 21
Nota:
Minha história com esse livro é engraçada, a primeira vez que ouvi falar dele foi através do booktube gringo e a o modo como ele foi apresentado foi tão simplista que minha vontade de procurar mais sobre ele foi zero. Acontece que meses depois adivinha qual livro estava dentro da mala da Turista Literário? É, esse mesmo. Torci o nariz, mas resolvi confiar na curadoria do serviço, li um pouco do conteúdo extra que eles mandam para ver se me animava com a história, fui para leitura e quando me vi já estava apaixonada por aquela história que meses antes eu achava que seria bem chata.

Filha das trevas conta a história de Lada, que desprezada pelo pai por ter nascido mulher, aprende que para ser notada e ser reconhecida como alguém a força é a única saída. Com a perda de influencias de seu pai, Lada e seu gentil irmão Radu são arrancados de sua terra natal e levados para viver no império Otomano, para ter uma "educação especial".

No império otomano Radu encontra um lugar para chamar de lar e se sentir seguro, porém Lada odeia tudo nos otomanos e encontra na sua crueldade a chave para a sobrevivência, planejando vinganças e acima de tudo um meio de voltar para sua casa. Tudo muda quando os irmãos se tornam amigos de Mehmed, o filho do sultão, pois como Lada pode ter encontrado alguém que é digno de seu amor se ele é o herdeiro do império que ela jurou destruir? E além disso como ela pode destruir o lugar que seu irmão agora chama de lar? Com essas questões em sua cabeça Lada tem que decidir o que sacrificar para ganhar sua liberdade.

Essa é a primeira vez que leio um livro que é um reconto histórico, ainda mais um reconto com troca de gênero do personagem principal, mas como não conheço muito da história original do Vlad isso não me incomodou muito, pelo contrário eu achei isso ótimo, pois é sempre bom ler livro com uma protagonista feminina forte.

A propósito, forte é uma palavra que define bem Lada, desde de sua personalidade até a capacidade física, isso porque em um mundo onde quem manda são os homens, Lada entendeu que para ter o respeito do pai não poderia ser fraca. Porém o que para ela pode ser visto como ser forte, para os outros poderia ser visto como crueldade. Como o livro é narrado através de pontos vista é possível entender o porque da personagem estar agindo daquele jeito, mas mesmo assim eu como leitora por muitas vezes não conseguia apoiar as decisões dela.

Radu é totalmente ao contrário de sua irmã. Ele é calmo, educado e dependente das pessoas ao seu redor, por isso é considerado por sua irmã uma pessoa fraca, porém conforme a história vai avançando é possível perceber que mesmo possuindo esse jeito introvertido, Radu é capaz de lutar, não com armas e golpes como Lada, mas sim com palavras. Pra mim ele foi a melhor surpresa do livro e claramente é o personagem que tem o maior desenvolvimento.

Deu pra pra perceber que a autora fez uma bela pesquisa para escrever a história principalmente no quesito arquitetura, não foram poucas as vezes que ao ler as descrições dos locais e das vestimentas em que eu me via visualizando tudo na maior perfeição. Outra coisa que a autora sabe fazer é desenvolver os personagens, a ponto de  que mesmo sendo um coadjuvante você consegue entender todas as motivações dele e isso deixa a história ainda mais rica, ainda mais se tratando de um livro tão político quando esse. Aliás a trama política foi outro ponto que me deixou maravilhada, toda a parte de conspiração, de a gente como leitor não saber em quem confiar, ou ser surpreendido por algo. Sério espero que os próximos livros tenham muito mais disso.

Agora vou ser a pessoa chata e falar da tradução do título. Em inglês ele se chama "And I Darken" que em tradução livre seria "E eu escureço" que ao meu ver seria sobre como os personagens perdem sua inocência e se tornam mais obscuros depois que são enviados para coração da império de seus "inimigos".  Mas a escolha brasileira "Filha das Trevas" não me remete nada do gênero, só que a personagem principal deve ser ruim sem motivo e lendo o livro percebe-se que esse não é o caso. Enfim se alguém tiver alguma explicação para esse titulo em português ficaria contente em ouvir.

Certamente esse livro foi uma ótima surpresa e me arrependo de não ter lido ele antes, agora estou aqui aguardando o próximo livro (se não me engano isso vai ser trilogia) e tentando não ler nada sobre o Vlad pra não tomar "spoiler" sobre o que pode acontecer HAHAHAHAH

3 comentários:

  1. Oi Thaty!
    Muito interessante o livro. Quando li o título achei que fosse algo sobre magia negra kkkkkkkk Realmente, não acho que ficou a melhor tradução possível do título.
    Obrigada pela indicação.
    Bjos
    http://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Thaty!

    Chega a ser engraçado como a gente entorta o nariz pra alguns livros e no fim acaba sendo conquistado por eles né? Adorei a resenha e a sua sinceridade, fico feliz por no fim a obra ter te agradado e superado todas as expectativas! Acho super positivo quando os autores pesquisam a fundo o assunto, dá pra ver o quanto pesquisaram durante a escrita, e como se dedicaram à sua história pra deixá-la da melhor forma possível.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi
    que bom que se surpreendeu com essa leitura e que bom que recebeu na caixinha se não fosse por isso não teria dado uma chance e se apaixonado pela historia. Essa capa é linda e realmente parece ser uma boa história.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir