Evento | Flipop 2018 está chegando


Nossas orações foram ouvidas e o pessoal do Grupo Companhia das Letras trouxe mais uma vez a Flipop! Dessa vez com mais parceiros, mais autores, mais dias e mais conteúdo!

E esse será um post para convidar vocês para esse evento bacana que eu tenho super orgulho, porque a gente estava precisando de algo assim.



Para quem não conhece, Flipop é um evento de literatura pop idealizado pela Editora Seguinte desde 2017 e que ocorre em São Paulo e se você quer saber como foi essa primeira edição pode ler este post que a Thaty fez contando. 

Este ano temos 9 novas editoras participando e graças a isso será possível ter 38 convidados e 28 bate-papo e atividades, é ou não é coisa mais legal do mundo! Ah o número de dias também aumentou de dois para três dias e todo mundo paga meia-entrada, basta levar um livro em bom estado se você não for mais um jovem estudante. 

Desses 38 convidados temos 2 internacionais que é Morgan Rhodes autora da série "A Queda dos Reinos" e Jeff Zentner autor "Dias de despedida" e vários outros autores e booktubers nacionais. 

Vocês podem conferir a agenda completa nesse link aqui e abaixo mais infos de como comprar os ingressos e local. 


Informações sobre o evento:
2ª FLIPOP
Quando: 29 de junho a 1º de julho
Onde: Centro de Convenções Frei Caneca - 4º andar (R. Frei Caneca, 569 - Consolação, São Paulo - SP. Referência: 850 metros da Av. Paulista, 700 metros da Estação Higienópolis-Mackenzie do metrô.)
Site oficial: www.flipop.com.br
Evento no Facebook: link
Ingressos: R$50 por dia ou R$100 para o festival completo. O ingresso dá direito a participar de todas as palestras, atividades e sessões de autógrafos. À venda pelaPixelticket.
Patrocínio: Papel Pólen e Centro de Convenções Frei Caneca




Espero encontrar vocês lá!

Resenha | O Menino que Desenhava Monstros - Keith Donohue

Ano: 2016
Páginas: 256
Editora: DarkSide
Nesse mundo de blogs e booktubers, uma coisa que se tornou bem difícil para mim é encontrar um livro sobre o qual eu não sei nada sobre ele, geralmente sei algo sobre o escritor ou um pouco da sinopse, mas com esse livro isso aconteceu e eu realmente não sabia nada sobre ele além do obvio que o título me diz (que o menino desenha monstros). Então sem expectativa descobri um mundo onde desenhos podem mudar a vida das pessoas.

Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger e que quando mais novo quase morreu afogado junto com seu melhor amigo Nick e desde então ele tem pavor de sair de casa. Durante esse tempo de reclusão Jack adotou vários hobbies, mas esse seu último está deixando seus pais muito preocupados. Jack está obcecado em desenhar monstros, só que ultimamente parece que os monstros estão deixando o papel e estão em todo lugar só esperando para pegar o garoto.

Os pais de Jack sempre tentaram criar o filho da melhor forma, mas a cada dia as atitudes dele ficam cada vez mais estranha e quando em certo dia ele bate em sua mãe pensando ser um dos monstros de sua imaginação, Holly guiada pelo amor e pelo medo que sente do filho resolve pedir ajuda apesar de que Tim diga que isso é apenas uma fase.

Logo todos da família começam a presenciar coisas estranhas: Tim começa a ser perseguido por um monstro e Holly começa a ouvir sons do oceano e que parecem querer entrar na casa. Enquanto os adultos não sabem se o que veem é real ou não, apenas Nick parece saber o quanto o amigo está envolvido nesses acontecimentos. 

Esse é mais um livro que entra na categoria de primeiras vezes, já que é a primeira vez que eu leio algo de terror e vamos dizer que até que foi bem satisfatório. Minha leitura foi cheia de altos e baixos, pois o livro possui uma leitura bem arrastada mas sempre em que eu pensava em desistir alguma parte cheia de tensão aparecia e dava mais gás para minha leitura.

A história é contada na terceira pessoa e praticamente gira em torno da condição do Jack e como isso afeta todos aos seu redor, com isso o autor criou personagens tão bons que mesmo eles agindo no modo clichê dos filmes de Terror, não soam forçados. A construção de cada personagem é outra coisa que me chamou a atenção, ver as crenças dos pais do Jack serem desconstruídas/construídas a medida que as coisas vão acontecendo e ver como cada um vai lidando com isso tornou os personagens bem reais.

Conforme o terror ia avançando eu ia entrando cada vez mais na paranoia dos pais do Jack e várias perguntas iam brotando na minha cabeça como? Jack realmente é só uma criança com Asperger ou tem algo mais? Aquilo realmente é um monstro ou foi só o Tim imaginando coisas? O que tá acontecendo com esse quadro? O QUE TÁ ACONTECENDO NESSE LIVRO? E as perguntas não pararam até quando o livro termina.

Aliás vamos falar sobre o que foi o final desse livro. Pra mim ele foi tão inesperado que eu ainda fiquei pensando sobre ele por uns mais alguns dias, por que foi um daquele finais que nem adianta ficar tentando adivinhar como ele vai ser porque vai ser tudo o aquilo que você nem sequer cogitou e só por causa disso dei uma estrela mais na avaliação final.

Uma coisa que descobri depois da leitura é que a história vai virar filme, ainda não tem data de estreia nem elenco definido, só que eu ainda estou na dúvida se vou assistir ou não porque livros de terror eu aguento, mas pra filmes eu sou a pessoa mais medrosa da face da terra ^^

A edição do livro ficou por conta da DarkSide, então nem preciso dizer em como ela ficou linda e perfeita. A capa é toda em relevo e adorei o fato de que no final tem umas páginas em branco pra gente desenhar nossos monstros, pesadelos, sonhos e lembranças e assim ficar mais próximo do personagem principal. Eu não desenhei nada pq vai que sei lá, aquilo cria vida, mas e vocês seriam corajosos pra desenhar seus medos e enfrentá-los?

Minha Canon M5O


Se tem uma coisa que eu sou é uma pessoa indecisa, prova disso é que levei quase três anos para finalmente comprar uma câmera nova e eu queria compartilhar com vocês qual eu escolhi e claro as características técnicas.

Primeiramente, eu não sou uma super conhecedora sobre fotografia, mas faço a minha pesquisa do jeito que eu posso, então se eu falei alguma besteira aqui embaixo é só avisar nos comentários viu?


Eu comprei uma Canon EOS M50, para quem não conhece muito ela está na categoria mirrorless que serve como câmera de entrada, sendo mais compacta e as características técnicas pode chegar de uma semi profissional.

Antes de eu escolher o modelo M5O eu já estava decidida em pegar a M100 que é um modelo mais antigo da Canon que me daria o que eu estava buscando, uma câmera um pouco semi profissional, com o visor que eu poderia girar para poder ver enquanto gravava e também era cambiável, isso significa que eu poderia comprar outras lentes para ter uma maior usabilidade da câmera.


Para a minha felicidade antes de viajar eu vi algumas noticias que a Canon iria lançar uma Mirrorless nova, e que além de ser melhor que as outras da categoria EOS ela seria a primeira a filmar em 4K, e claro eu mudei de ideia facilmente. 

A M5O vem com um sensor APS-C de 24 megapixels com autofoco Dual Pixel, processador novo Digic 8 e um visor eletrônico incorporado que é touchscreen facilitando tanto na visão para quem está se filmando como ajuste da configuração direto na tela, além da já comentada filmagem em UHD 4K (24p) ela filma também em 1080-120p.



A lente que veio na minha foi a EF-M 15-45mm F3.5-6.3 IS STM, também tinha a possibilidade de comprar com o kit que vinha no modelo já comentado e a 55-200mm F4.5-6.3 IS STM, mas para isso teria que desembolsar $1,200 dólares e venhamos e convenhamos eu já estava bem feliz com a 15-45mm mesmo.


Fato legal sobre as lentes da Canon EOS dentro da categoria existem 4 modelos EF-M, mas se você quiser comprar e usar outras lentes da Canon basta comprar uma adaptador para usar na sua EOS. =)

Bom é isso pessoal, espero que tenham gostado, pois além de ter sido uma compra bem pessoal também serve como um upgrade aqui no blog para as fotos e para o canal que vai voltar!