Evento | FLIPOP 2018

Depois da maravilhosa primeira edição a Editora Seguinte ouviu nossos apelos e fez uma SEGUNDA EDIÇÃO DA FLIPOP!!! O evento aconteceu nos dias 29, 30 de Junho e 1 Julho e conseguiu superar (e muito) a edição passada do festival.

Pra começar esse ano o evento não foi realizado apenas pela Editora Seguinte, mas sim em conjunto com mais outras nove editoras, o que resultou em três dias de evento e ele ter sido transferido para o centro de convenções Frei Caneca (que além de maior e mais bem localizado que da última vez, é dentro do shopping e tinha desconto na praça de alimentação para quem estava participando da FLIPOP \o/). Porém mesmo o evento tendo crescendo, ele manteve a  proposta inicial e continuou com o clima de aproximar leitores dos escritores e de que todo mundo ali é amigo mesmo sem nunca ter se visto antes.

Com o crescimento do evento a agenda de conteúdos foi praticamente triplicada. Com duas salas e com painéis acontecendo ao mesmo tempo, acompanhar a programação virou uma questão de saber definir prioridades (mas mesmo assim graças a Deus consegui ver praticamente todas as palestras que eu queria). Os temas abordados foram incríveis e falavam sobre representatividade, dicas de escrita, como é o mercado editorial e o impacto da literatura YA.
No sábado não fiquei muito tempo e vi dois paineis. Um sobre os horizontes do YA com a Claudia Fusco, Mayra Sigwalt, Jim Anotsu e Bruna Miranda, onde foi discutido sobre como o YA é visto no mercado literário, (pois aqui no Brasil  ele visto bem mal apesar de vender bem, ao contrario dos EUA onde é visto com bons olhos e está com constante crescimento) e o que eles acham que o YA vai se tornar no futuro. 

Já o outro foi um bate papo maravilhoso com o Jeff Zentner, um dos autores internacionais que a Seguinte trouxe, e que foi muito engraçado e emocionante, pera deixa eu explicar. O Jeff é o escritor de Dias de Despedida, um livro que fala sobre o luto então muito foi discutido sobre isso: como foi escrever um livro com esse tema, como ele lhe dá com o luto e sobre a relação entre os personagens. Também foi discutido sobre a rotina de escrita dele (ele escreve os livros no celular indo pro trabalho!), livros futuros, sua relação com a música e sobre como ele estava se sentindo ao voltar para o Brasil (porque ele já morou aqui a uns vinte anos atrás e sabe falar português).
No Domingo vi os painéis "O que a fantasia diz sobre o nosso mundo" e o "Meu ship naufragou". No primeiro participaram Felipe Castilho, Eric Novello, Fernanda Nia e Lavínia Rocha e foi abordado sobre como os acontecimentos do cotidiano afetam a literatura fantástica e como os autores traduzem o que estão vivendo para o mundo que estão criando. Tudo que foi falado foi fantástico, mas uma coisa que me chamou a atenção foi a Fernanda dizendo que já temos vilões ótimos no mundo real e que não há a necessidade de criar novos e com essa frase eu já fui lembrando de como o livro do Eric o "ninguém nasce herói" onde o vilão é algo que conhecemos muito bem.

O segundo painel foi bem mais descontraído e foi sobre um tema que todos adoramos: ships. Nele participaram Bruna Fontes, Frini Georgakopoulos, Mel Geve e Iris Figueiredo e elas falaram sobre os ships que amam, os ships que não suportam, e principalmente como escrever um bom ship. E eu fiquei bem surpresa ao descobrir como era o casal do livro Proibido, pq até então eu não tinha parado pra ler a sinopse dele, mas quando falaram sobre ele na mesa eu fiquei COMO ASSIM?  
Mas nem só de painéis incríveis vive a FLIPOP. A Blocks ficou com o posto de livraria oficial do evento (mas infelizmente os preços dos livros continuaram absurdamente caro), a plataforma 21 tinha uma mesa cheia de marcadores e que durante alguns horários definidos eles tinham livros para dar (eu perguntei uns três vezes pra mulher pra confirmar que eles estavam dando os livros), a editora Hoo estava divulgando seus livros e aplicando tatuagens temporárias, a editora morro branco estava divulgando seus livros e comandando uma roleta com prêmios e é claro a tão famosa cabine fotos.

Dessa vez tivemos dois estandes sobre mystery boxes: o Turista Literário, que além da divulgação trouxeram caixas passadas para venda, e a Livros & Citações, que eu não conhecia e que me deixou bastante curiosa pois é possivel escolher a o tema da caixa e a quantidade de itens que vem nela.

E como se não bastasse tudo isso a editora Seguinte ainda estava distribuindo ARCs de "A Graça e Fúria" para as primeiros vinte e cinco pessoas. Eu fiquei mega feliz com isso (apenas de não ter pego nenhum) porque  quem sabe num futuro a FLIPOP consiga distribuir várias de várias editoras e a gente saia de lá igual nos eventos gringos, com um pilha cheia de livro gratis #Sonho. 

Depois de ter visto o bate papo com o Jeff, fiquei ainda mais apaixonada por esse ser humano e é claro que fui atrás dele para pegar um autografo. Foi engraçado conversar com ele porque meu cérebro ficava me dizendo pra falar em inglês, mas com ele respondendo em português eu ficava confusa e sai enrolando as duas línguas HAHAHHA. Ele foi a coisa mais fofa do mundo me pedindo desculpas quando eu disse que chorei horrores com o livro e ficando radiante quando eu disse que o português dele é perfeito, mesmo sem usa-lo por vinte anos ^^. 

Da Morgan eu só conhecia o título dos livros (shame on me HAHAHHA), mas após ver o bate papo dela também fiquei apaixonada, até porque quem não vai amar uma autora que diz que seu processo de escrita é 90% procrastinação e 10% escrever tudo em 3 dias antes do prazo? HAHAHHA. Como eu não tinha nenhum livro dela, pedi para autografar minha credencial e disse a ela que ia ler toda a série o mais rápido possível para reparar o meu erro.

Foram dois dias incríveis que eu espero que se repitam por vários anos, até porque já está na minha agenda de eventos anuais que eu não posso deixar de ir.

PS. Dica pra FLIPOP 2019: Se tiver balões com as letras da FLIPOP novamente por favor colem os eles na parede dos paineis! HAHAHHAHA

0 comentários:

Deixe seu comentário