Resenha | Allegro em hip-hop - Babi Dewet

Ano: 2018
Páginas: 336
Editora: Gutenberg
Compre
Quando foi anunciado que o lançamento desse livro seria na Bienal de SP, automaticamente ele se tornou a prioridade nas minhas compras me fazendo sair do meu habitual roteiro de "ruas e avenidas" e indo correr diretamente para o stand da Gutemberg. Foram dois anos de espera e ansiedade, mas finalmente Allegro em Hip-Hop está entre nós e não deixou nenhum pouco a desejar.

Camila é uma bailarina descendente de japoneses que possui pais muito rigorosos com grandes planos para ela e sua carreira e com isso desde de pequena aprendeu que precisava ser a melhor, sempre se esforçar mais e sem perder seu tempo com coisas como festas, passeios pela cidade ou garotos. Camila tem orgulho da sua vida organizada e milimetricamente programada, como uma rotina de balé, pois isso era preciso para realizar seu grande sonho de ir para a The Royal Ballet em Londres. 

Vitor é um violinista que ama hip-hop, tendo como grande inspiração o cantor Drake. Pra ele todos os gêneros de música adicionam algo na carreira de um musicista e acha injusto que o conservatório ligue apenas para música clássica e ignore todos os outros. Ele tem uma  GRANDE queda por Camila, mas nunca teve coragem de falar com ela, até porque quando que a melhor bailarina do Margareth Vilela iria olhar para um garoto desengonçado e cheio de sardas?

Quando seus olhares se cruzam entre as aulas do conservatório e Camila nota Vitor pela primeira vez, a garota descobre um novo mundo, cheio de amor, espontaneidade e onde o hip-hop pode ser tão divertido e interessante quanto o balé. 

Assim como o livro anterior, Allegro em hip-hop trás muito mais do que apenas um romance de descoberta envolto em muita música, ele trata também de temas como representatividade, diversidade, racimo e saúde mental. Uma coisa que eu acho que evoluiu do Sonata pra esse livro é que o contexto dos temas se tornou muito mais amplo e relacionável, não que sororidade não fosse, mas dessa vez eu pude associar os que acontecia na história com coisas que eu já havia visto.

Os personagens são 100% apaixonantes e te garanto que é impossível você gostar de apenas um. A Mila é uma garota incrível, com uma dedicação invejável e que a cada página me deixava ainda mais encantada com o seu jeito de ser. Achei incrível em como ela evoluiu ao passar a história e mal posso esperar para ver como ela vai estar nos próximos volumes. Já a Clara, a melhor amiga de Mila, é aquele tipo de pessoa que defende os amigos com unhas e dentes e adorei o fato de que e toda segura de si, sem se importar com que os outros vão dizer dela. O Vítor é a coisa mais fofa desse mundo e  não teve como não ficar apaixonada por ele a cada vez que ele respeitava as decisões da Mila, quando a levava para conhecer mais sobre o hip-hop e quando fazia as melhores piadas.

Apesar de adorar os novos personagens confesso que dava pequenos surtos toda a vez que um personagem de sonata era mencionado ou realmente aparecia em cena (principalmente o Kim XP) e foi ótimo ver como as ações do livro anterior repercutiram em certos personagens. Aliás falando nisso, finalmente descobrimos quem é colega de quarto da Tim e essa foi a melhor surpresa que eu tive no livro e acho que vocês também vão adorar quando descobrirem.

Outra coisa que me deixou maravilhada foi a descrição das cenas. Por ter o balé como foco eu pensei que ia ficar um pouco perdida, mas era tudo tão bem descrito, com o nome dos passos que os bailarinos faziam, com a música que estavam ouvindo, que depois de uma pesquisa rápida sobre cada coisa eu conseguia visualizar tudo perfeitamente e em alguns momentos ficava até com raiva quando alguma coisa acontecia e os personagens paravam de dançar HAHAHA.

Uma coisa comum entre os livros da série são as músicas que dão nome aos capítulos, que vão dando um tom a história e formando no final uma playlist. A playlist de Allegro mistura bem os clássicos do balé e o melhor do hip-hop, incluindo até artistas nacionais como Emicida e Racionais, aliás obrigada Babi por me deixar com O Lago dos Cisnes e Drake na cabeça a semana toda.

Agora vamos falar dessa capa linda e perfeita que não sei se vocês notaram mas ela se completa com a capa do Sonata (olha o link pra ver que lindo) e todos os livros da série vão ser assim, então já estou aqui pensando na coisa linda que vai ser quando ela estiver completa. Vale ressaltar que mesmo as capas se completando, os livros são histórias fechadas e podem ser lidos em qualquer ordem.

Queria poder falar muito mais desse livro, porém iam sair vários spoiler, então vão ler logo Allegro em Hip-Hop e se deliciar com esse romance cheio de muita dança, música, personagens carismáticos e ainda de quebra morrer de rir ao ver que uma das pessoas na dedicatória do livro é o Netinho, afinal é impossível não cantarolar " Ô MIIILAAA, MIL E UMA NOITES DE AMOR COM VOCÊ" pelo menos uma vez durante a leitura XP

0 comentários:

Deixe seu comentário