Resenha | Tiger Lily - Jodi Lynn Anderson

Ano: 2018
Páginas: 320
Editora: Morro Branco
Comprar
Fazem anos que eu estou para ler Tiger Lily, mais especificamente desde que eu começei a seguir o Epic Reads (selo jovem da HarperCollins nos EUA) e via o quanto uma das editoras (Margot Woods) venerava e indicava esse livro como sendo o melhor que ela já tinha lido na vida. Cheguei várias vezes simular compras na Amazon americana, pois sabia que esse livro nunca chegaria aqui, mas com o dolar alto nunca finalizava a compra. Até que na FLIPOP desse ano na sacola de boas vindas veio uma garrafinha com "pó de pirlimpimpim" anunciando que a Morro Branco ia trazer o livro pro Brasil! Lembro do berro que eu dei e que corri para o estande da editora para agradecer imensamente por isso. Agora depois da leitura entendi porque a Margot ama tanto esse livro.

Achada na floresta quando criança, adotada pelo Xamã da tribo dos comedores de céu e considerada amaldiçoada por eles, Tiger Lily é a criatura mais solitária da Terra do Nunca. Anos sendo alvo da maldade das crianças e da indiferença de alguns aldeões fizeram com que ela não acreditasse no amor ou em finais felizes, porém tudo muda quando ela conhece Peter Pan.

Peter é diferente de tudo o que Tiger Lily conhece, ele é destemido, impulsivo e faz com que ela se sinta de um jeito estranho quando está perto dele. Mesmo sabendo o quanto são diferentes ela é capaz de arriscar tudo em sua vida para ficar junto dele, mas a chegada dos Ingleses (e de pássaro Wendy) na Terra do Nunca faz com que esse romance se torne ainda mais impossível, já que Tiger Lily vê as coisas mais importantes de sua vida mudarem para nunca mais voltarem a ser os mesmas.

A narrativa da história é feita em primeira pessoa, não pela protagonista, mas pela Sininho e com isso a história se tornou bem diferente do que eu imaginava que seria. Pois ver tudo pelo ponto de vista da fada, que por ser minuscula e "lê pensamentos", faz com que vejamos ações de personagens que normalmente não veríamos caso eles soubessem que estavam sendo observados além de sabemos seus segredos mais íntimos de uma forma bem diferente se a narrativa fosse com vários ponto de vista diferentes.

Nesse reconto vemos que não existe um personagem totalmente bom ou totalmente mal, são tons de cinza e tão humanos quanto eu e você, então personagens que antes torcíamos por eles ou odiávamos ganham um nova forma e te garanto que assim como eu você vai se pegar nem que seja por um pouquinho odiando a Wendy ou concordando com as atitudes "ciumentas" da Sininho ^^. Outra coisa coisa legal é que como é uma história de origem sabemos um pouco sobre como alguns personagens "nasceram", como por exemplo de onde vem o barulho de relógio do crocodilo tic-tac e de onde vieram os meninos perdidos.

Quando a sinopse do livro diz que essa é uma história de amor que vai quebrar o seu coração, acredite que sim, seu coração vai acabar despedaçado mesmo que seja apenas no final da última página. Esse é um livro que mexe muito com as emoções, não apenas pela história da Tiger Lily com o Peter, mas também por causa do desenvolvimento de outros personagens e como eles lidam com as mudanças de suas vidas, principalmente Seiva de Pinheiro e Tic-Tac (pai adotivo da Tiger Lily).

Um coisa que eu não esperava é que a trama abordaria temas como estupro, machismo e preconceito LGBTQ e em como a Jodi escreveu sobre isso e mesmo assim não descaracterizou a magia da Terra do Nunca. O jeito que ela soube tratar temas tão fortes e impactantes em uma história com um cerne tão infantil foi perfeito e tudo de um jeito tão sutil que me deixou pensando na mesma cena por horas, se o que eu tinha lido de fato tinha acontecido e quais seriam as consequências disso na história.

Com uma leitura gostosa, personagens bem desenvolvidos e temas fortes, Tiger Lily foi um livro que mesmo eu tendo expectativas sobre, ainda conseguiu me surpreender. Então leiam logo esse livro e descubram as maravilhas (e tristezas) que habitam a Terra do Nunca.

0 comentários:

Deixe seu comentário