Web Série | The Lizzie Bennet Diaries

E se Elizabeth Bennet fosse uma millenium, estudante de comunicação e tivesse um vlog? Essa é a principal história da web série de 2012 "The Lizzie Bennet Diaries", uma adaptação moderna do livro Orgulho e Preconceito e que no último mês se tornou a minha mais nova obsessão ^^

Ouvi falar sobre LBD lá em 2015 quando o livro da série foi lançado e era só o que eu via nas prateleiras das livrarias e nas lista de desejados do skoob. Procurando sobre descobri que era uma web série baseada num livro de Jane Austen e até que achei o primeiro capítulo bem legal, mas como meu inglês na época era muito ruim resolvi salvar para ver depois, o que durou 4 anos AHAHAHAH

Eu nunca li nada de Jane Austen e só sabia o básico de Orgulho e Preconceito, então não sabia o que esperar dessa história, mas pelas minhas pesquisas vi que mesmo com algumas pequenas alterações para deixar a história moderna a essência do original estava ali, tanto nos principais acontecimentos quanto na característica de cada personagem. Porém se assim como eu você também não sabe nada sobre O&P aqui vai um resumo da história da série: Lizzie resolve criar um vlog, como trabalho de faculdade, para contar o dia a dia de sua família, especificamente sobre os planos absurdos da sua mãe para casar ela e suas irmãs com homens ricos. Só que ela não imaginava que sua vida e de suas irmãs se tornasse mais complicada do que o normal com a chegada a cidade do solteiro e rico Bing Lee junto com sua irmã e seu amigo Darcy.


Lizzie é inteligente, sarcástica, cabeça dura e por mais que algumas pessoas a achem chata pelo jeito julgador, eu por outro lado fui cativada pelo seu humor ácido e pensamento crítico. Enquanto Lizzie é a que ao meu ver mais bate de frente com os desejos de sua mãe (já que tudo o que ela mais quer é terminar a pós e ter sucesso na carreira que escolheu), suas irmãs parecem ser mais de boas com a situação. Jane, a irmã mais velha é a perfeita da família, é aquela mesmo ganhando mal em um trabalho que não a valoriza, vê o copo meio cheio, está sempre com um sorriso no rosto e que vê as "maluquices" de sua mãe como sendo algo feito com as melhores intenções. Lydia, a irmã mais nova, tem uma personalidade bem energética e está numa fase pegação geral, então vamos dizer que ela não vê com maus olhos sempre que sua mãe tenta arrumar um cara para ela.

Conforme vamos conhecendo melhor os personagens começamos a perceber o quanto Lizzie é uma narradora não confiável, mostrando aquilo que viu através de seu filtro julgador e percebemos como a interação dela com as irmãs e Charlote nos episódios (a melhor amiga de Lizzie) é importante para nos mostrar um outro angulo da situação e como algo que aconteceu pode não ter sido tão ruim assim. Bing Lee é o perfeito exemplo disso, pois antes mesmo de conhece-lo a Lizzie já imaginava que ele era mimado e metido só por ser rico, quando na verdade ele é um labrador humano todo fofo e atencioso. Mas tem um personagem que realmente parece ser o que Lizzie mostra e essa pessoa é Darcy.


Lizzie conhece ele em uma festa e todos a sua volta parecem partilhar da mesma impressão que ela tem dele: arrogante, mal humorado e anti social, até Jane que sempre vê o melhor das pessoas não consegue achar um bom adjetivo para ele. Mas a medida que o personagem se mostra mais presente na história vemos que Darcy pode não ser tão chato assim e que tudo pode ser sim apenas mais um equivoco no julgamento de Lizzie.

Por ser um vlog que é gravado no quarto da protagonista, vamos aos poucos conhecendo os personagens o que gera um sentimento de EU PRECISO CHEGAR LOGO NO EPISÓDIO EM QUE O DARCY APARECE! Mas por ser um conteúdo para internet e cada capítulo ter entre 3 e 5 minutos de duração é muito fácil maratonar a série e ver os 100 episódios em 2 dias (experiencia própria ^^).  Outra coisa bem legal (e que é o diferencial dessa adaptação) é que a Lizzie não conta o que aconteceu na vida dela apenas falando coisas como "e então ele veio, falou isso e depois fez aquilo", ela encena os todos acontecimentos se vestindo e falando como as pessoas envolvidas o que gera cenas memoráveis e bem hilárias.


O que mais me chamou a atenção em LBD (além da história) foi a transmídia, pois vocês sabem que eu sou louca por essa coisa de interagir com a ficção. Infelizmente eu só demorei uns 7 anos para assistir de fato, então não peguei a fase de comentar nos vídeos e ter o deleite de ter a Lizzie respondendo, ou de saber ou não se os vídeos eram fake, mas como os personagens tem contas de Twitter e Tumblr, seguindo essa timeline aqui deu pra ter um gostinho dessa interação (nunca vou superar as fotos do tour em San Francisco 😍)

A partir da história principal, outras tomaram forma e assim vários spin off foram criados. Lydia resolve fazer seu próprio vlog e a empresa que o Darcy comanda cria um canal, o Pemberly Digital, onde sua irmã Gigi nos apresenta o novo aplicativo criado pela empresa. Você não é obrigado a assistir os spin off para entender a história, ela é autossuficiente, mas eu recomendo muito assistir pois algumas coisas que são apenas mencionadas tomam uma nova forma principalmente quando falamos do arco da Lydia.


É claro que não daria pra fazer um projeto desses sem um elenco bom e com boa química e nesse quesito os criadores acertaram em cheio. Laura, Mary Kate e Ashley (Jane, Lydia e Lizzie) entregam uma performance tão boa que sempre que eu vejo uma foto delas na vida real tenho que me lembrar que elas não são irmãs e o mesmo acontece com Daniel e Alison (Darcy e Gigi) porque caramba eles são um a cara do outro! As atuações do Maxwell e Wes (Ricky Collins e George Wickham) são tão boas que que em poucos episódios já estamos ou amando ou odiando eles. E é claro que eu não podia deixar de comentar sobre as cenas entre Daniel e a Ashley que são tão magníficas e é impossível não assistir um episódio com eles pelo menos duas vezes apenas para ver como eles reagem um ao outro (atenção especial ao ep 83).

Outra coisa pra realçar sobre a série é que um dos criadores é nada mais nada menos que Hank Green! Sim, o irmão do John Green, pessoa que escreveu a "Culpa é das estrelas" (aliás existe esse vídeo aqui da Ashley e do Daniel lendo um trecho do livro durante um evento da Nerdfighteria) e isso explodiu a minha mente.

Espero que tenham curtido a indicação e ficado interessados em assistir essa maravilhosidade (eu espero que sim), pois The Lizzie Bennet Diaries vai cativar tanto aqueles que já são fãs do livro, quanto aqueles que não conhecem nada sobre a história, mas gostam de uma narrativa contada de um jeito diferente.


Canal "The Lizzie Bennet Diaries"


Canal "The Lydia Bennet"


Canal "Pemberly Digital"

4 comentários:

  1. Oi Thaty,
    Amei sua indicação, não conhecia essa série, mas é claro que amo O&P. Vou procurar onde assistir.
    Ótima resenha!
    Bjos^^
    http://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kelen.

      Como assim você conhece O&P, mas não LBD??? HAHAHAHA
      Enfim, espero que você ame essa web série o tanto quando eu

      bjs

      Excluir
  2. Oi Thaty!
    Eu já li Orgulho e Preconceito e já tinha ouvido falar nessa web série, mas ainda não assisti. Parece ser bem legal!
    Nem sabia que o Hank Green estava envolvido...
    Vc ficou com vontade de ler o livro depois de assistir?
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol.
      Vai assistir essa série que é a melhor coisa já lançada sobre O&P!! Ver LBD deu vontade não só de ler o livro como vi a mini série da BBC e o filme da 2005 HAHHAHAH
      Sobre o Hank, ele resolveu fazer a série pq é um livro que ele e a mulher adoram muito.

      Bjs

      Excluir