Resenha | Um Encontro de Sombras - V.E Schwab

Ano: 2019
páginas: 542
Editora: Tor Books
Compre
----------------
Ano: 2017  
páginas: 560
Editora: Record
Compre

A V.E Schwab é uma autora que mesmo tendo lendo apenas dois livros dela, já senti que ela seria uma das minhas autoras favoritas, só que mesmo acompanhando tudo o que essa mulher postava nas redes e vibrando a cada lançamento eu ainda não tinha lido nada além daqueles dois livros, porém finalmente criei vergonha na cara e decidi terminar a trilogia Tons de Magia (afinal Threads of Power vem aí) e meu Deus, como me arrependi de ter demorado tanto para lê-lo.

 

A história se passa quatro meses após o final do livro anterior e tudo parece que estar de volta ao normal, mas não completamente. Kell continua seus deveres como mensageiro entre as Londres e está sendo culpado pelos acontecimentos da noite negra, sendo duramente punido pelo rei (que lhe colocou escoltas e reduziu as idas as outras Londres) porém nada disso chega perto dos pesadelos que Kell enfrenta desde o acidente de Rhy. O príncipe por sua vez tem a árdua tarefa de organizar o Essen Tasch (uma competição entre os melhores mágicos dos reinos de Arnes, Faro e Vesk) e parece estar alegre como sempre, mas por dentro sente que existe uma escuridão a espreita só esperando pra levá-lo. E Lila, bem, agora que ela encontrou uma boa aventura irá aproveitar o máximo para descobrir sobre esse novo mundo e como ela se encaixa nele. 

 

Londres está em polvorosa com o grande evento (já que além de diversão e novos rostos, rumores dizem que um certo nobre retornará a cidade para competir) e enquanto a cidade vibra a cada partida, outra Londres volta a florescer trazendo não apenas aqueles que se pensava estarem perdidos, mas tambem uma magia que foi capaz de destruir todo um mundo.

Ao meu ver dá para dizer que o livro é dividido em duas partes: na primeira vemos as consequências dos acontecimentos da noite negra e por mais que eu concorde que essa parte foi bem parada e que nada realmente importante acontece, é nela que temos a maior parte do desenvolvimento dos personagens e da construção de mundo, então pra mim nem foi tão doloroso assim, mas já fica aqui o aviso.


Dessa vez aprendemos mais sobre a vida de Kell e como é a sua relação com a família real, principalmente com Rhy já que agora ambos dividem uma vida e gente como esse menino sofre. Eu morri de dó ao ver o quão torturado ele ficou após a possessão da Vitari e como ele acha que deve carregar o mundo nas costas pelo fato de ter dado a vida ao irmão, aliás eu achei o comportamento de "pais adotivos" do Rei e da Rainha perante ao Kell bem duvidosos e sinceramente achei muita cara de pau eles fazerem o que fizeram com ele e ainda querer que ele concorde com tudo. 

 

Para contar o outro lado da moeda temos capítulos com o ponto de vista de Rhy e essa adição foi muito mais que bem vinda. O personagem se mostra muito mais complexo do que achávamos tendo acesso apenas aos pensamentos de Kell e aqui entendemos melhor sobre a pressão que o mesmo sofre por ser o príncipe herdeiro e por se considerar culpado por tudo o que o irmão está sofrendo.  


Agora a Lila, sem sombra de dúvidas foi a personagem que teve o maior desenvolvimento nesse livro e por mais que eu não goste muito dela e de seu jeito "eu sei tudo da vida, me deixa", aqui pude compreender melhor seus comportamentos e até dar razão a ela em algumas ações. As cenas dela são as mais intrigantes e mais reveladoras, pois assim como nós leitores ela também é nova nesse mundo e está aprendendo tudo do zero.

 

Alucard por sua vez é um ótimo acréscimo ao time de protagonistas e com seu charme e jeito misterioso já se tornou um dos meus personagens favoritos. A química que ele possui com Lila é simplesmente perfeita e eu adorei as partes em que eles ficam tentando descobrir os segredos do outro. Ah não posso esquecer que eu também o amo o fato de que a Victoria não tinha percebido que que Alucard é Drácula ao contrario, o que fez vários fãs jurarem que o personagem tinha um pézinho no submundo HAHAHHA

Já a segunda parte da história com o início do Essen Tasch, a história começa a tomar forma e dizer qual direção tudo aquilo está indo. As cenas das lutas são de tirar o fôlego e muito bem descritas e me lembrou muitos dos torneios de artes marciais que assistia em animes como Dragon Ball e Yu Yu Hakusho. Também gostei muito do fato de que a competição foi usada não apenas para nos dar cenas de ação, mas sim explicar melhor sobre o governo e as alianças de Arnes, pois  uma das coisas que eu mais gosto em livros de fantasia é saber mais sobre o governo e como tudo aquilo funciona e perceber que mesmo sendo o mundo que mais prospera dentre os quatro, Arnes está longe de ser um governo em que todos estão felizes e de acordo com as decisões tomadas pelos Maresh.

 

Fiquei chateada que essa melhor explicação de mundo ocorre apenas com a Londres Vermelha e eu entendo o fato de isso acontecer, já que esse é o mundo dos protagonistas, só que desde o livro anterior eu queria saber mais sobre os outros mundos, como a comunicação entre eles começou, como foi a reação dos governantes ao descobrir sobre outros mundos, mais sobre o Londres negra.... enfim espero que no próximo isso seja respondido. Outra coisa é que eu achei o romance entre um certo casal, um pouco forçado, não é que os personagens não possuem química, mas só acho que não teve nada que fizesse esse sentimento nascer.

 

A minha edição é uma versão de colecionador que vende na Amazon e que eu estava namorando a anos! Além dessa existe também uma outra versão que vende na Barnes & Noble e que tem mais conteúdo, mas como eles não entregam no Brasil comprei a da Amazon mesmo. Ela vem com fanarts, um glossário com termos em Arnesiano e um capitulo extra que mostra como é a vida de um ganhador do Essen Tash e que nem tudo são flores.

No geral tive a impressão de que esse livro não era uma continuação do anterior, porque o tom da história destoava e muito do frenesi que foi o "Tom mais escuro de magia", dando a impressão que esta é uma história totalmente nova, com novos personagens, mas situada no mesmo universo. Porém conforme tudo foi se desenrolando fui surpreendida pelo modo como as coisas foram se amarrando e percebendo como pequenas ações do livro anterior tem um grande impacto nessa parte história. 

 

PS. É altamente recomendável que ao começar esse livro você já tenha o terceiro em mãos, porque o cliffhanger do final é agoniante!