Resenha | Uma conjuração de luz - V.E Schwab

Ano: 2019
páginas: 640
Editora: Tor Books
Compre
----------------
Ano: 2020  
páginas: 728
Editora: Record
Compre

 

Assim que eu comecei a perceber que o final de "Um encontro de sombras" iria acabar com o meu psicológico, corri pra adquirir o próximo o volume para não perder tempo (e sofrer muito) e já saber o que acontece e bem cá estamos para falar sobre a maravilhosa conclusão dessa trilogia, como ela me fez passar por uma montanha russa de emoções, mudar minha opinião sobre certos personagens e como me deixou ainda mais ansiosa para a nova trilogia que está por vir.

 

Agora que novamente detém um corpo, Osaron decide estender seus domínios para além da Londres Preta, lançando sobre Arnes suas sombras, transformando-a em algo muito diferente da cidade que transborda magia e fazendo com que o já precário equilíbrio que existe entre as quatro Londres fique prestes a ruir.

 

Kell fará de tudo para salvar sua cidade e sua família, mas essa não é o única coisa que atormenta o "último Antari". Depois da maneira que foi tratado pelo Rei e Rainha durante os acontecimentos passados Kell não sabe mais a quem deve a sua lealdade e vive um conflito interno sobre querer buscar saber mais sobre quem verdadeiramente é ou não. Lila finalmente entendeu como manifestar sua magia e agora sua jornada será sobre aprender a controlá-la, afinal como vimos anteriormente tudo é uma questão de harmonia e tudo tem seu preço. E Rhy em meio ao caos de salvar seu mundo busca por um sentido para ainda viver, de algo que o torne digno de ter sido salvo pelo irmão e de ser o príncipe que todos amam.

 

Juntos eles vão ter que aprender a fazer as pazes com o passado, para conseguir lutar pelo futuro e assim garantir que os sacrifícios feitos não foram em vão, que o Isle brilhe vermelho mais uma vez e que equilíbrio retorne ao mundo.

 

 

Vou começar dizendo que ainda bem que a Amazon conseguiu entregar o livro a tempo de eu já tê-lo em mãos quando terminei o segundo, porque olha eu não saberia dizer o que seria de mim se tivesse que esperar pra ler esse volume. Por começar exatamente do mesmo ponto no qual "Um encontro de sombras" terminou a história já começa com tiro, porrada e bomba, então não tinha nem se passado dois capítulos e eu já estava surtando e pensando em tudo o que poderia acontecer com os personagens. 

 

Essa atmosfera de urgência é replicada durante todo o livro então se você olhou o tamanho dele e já ficou com medo de ele ser monótono igual ao outro, pode ficar aliviado porque as 700 páginas (se você ler na versão nacional) vão passar voando e quando menos esperar já vai estar na metade do livro e pensando como isso aconteceu (experiência própria 😁). Aliás o tamanho do livro se dá ao fato de que a Victoria amarrou todas as pontas soltas das tramas que nos foram apresentadas anteriormente, então acontece muita, mas muita coisa mesmo e eu sinceramente acho que ainda faltou página para explicar dar umas incrementadas em algumas explicações.


Por conta de todos os acontecimentos, os personagens sofrem um incrível desenvolvimento e quando os comparamos com quando os vimos pela primeira vez, nem parecem que são as mesmas pessoas. Esse livro é praticamente focado em Holland e Rhy, personagens opostos mas que são iguais por carregarem as marcas de serem completamente diferentes das pessoas de seus respectivos mundos: um Antari que vive numa Londres carente de magia e um príncipe sem poderes numa Londres, na qual a magia é tão abundante quando o ar. Holland desde o início sempre foi um personagem controverso e pra muitos (eu inclusa) motivo de um ranço enorme, mas ao ler sobre o seu passado e sobre tudo o que o ele passou minha opinião sobre o Holland mudou e passei a fazer par com Kell na defesa do personagem sempre que algum chegava pra acusá-lo. Já Rhy que começou a se descobrir no volume passado, aqui mostra todo o seu potencial e o quanto ele merece o título de realeza de Arnes mesmo não tendo magia, sendo as partes deles as que mais me emocionaram durante a leitura. 

 

 

Descobrir mais sobre a história do Alucard foi a segunda melhor coisa desse livro pra mim, entender o que aconteceu entre ele e Rhy e qual o motivo de tanta mágoa entre os dois, saber mais sobre a sua família e porque seu retorno a Arnes foi tratado com tanto alvoroço e por fim compreender melhor sobre a amizade dele com a Lila. Pra mim cada capítulo no qual ele era o narrador era certeza de que eu ia amar.

 

Lila aliás ainda me dá nos nervos com a sua personalidade cabeça dura e eu sei tudo do mundo, porém nesse livro ela está mais contida, um pouco mais consciente do que as suas ações podem acarretar e isso me fez gostar um pouquinho mais dela. Kell continua sendo o personagem que sempre busca fazer o que é certo, mas começa aos poucos a pensar nele mesmo e perceber que a vida não é apenas o dever. É interessante ver o relacionamento de Kell e Lila e perceber como um vai influenciando o outro durante a trama e por causa disso eu comecei a aceitar melhor o romance dos dois (apesar de achar que o começo foi um pouco forçado).


Outros personagens também ganham voz para explicar outros lados do conflito, sobre o que está acontecendo na Londres Branca, na Cinza e na realeza da Londres Vermelha. Eu adorei que finalmente a autora lembrou que existiam outros mundos foi muito legal ver como a expansão dos poderes do Orson, impactam cada um de uma maneira diferente, porém senti falta de dar mais espaço para o que acontece na Londres Cinza, e por mais que essa cidade não tenha tido mais destaque por não possuir magia, acredito que justamente isso tornaria as coisas mais interessantes ver como a população desse mundo reagiria. Outra coisa é que conhecer um pouco mais sobre o rei e rainha me uma pontinha de curiosidade para ler a HQ "The Steel Prince" que conta a história de como o pai do Rhy se tornou rei.

A história se encerra com chave de ouro, com o conflito bem resolvido e cheio de cenas emocionantes. Aliás a Victoria acabou com o meu coração com esse final e por mais que eu entenda que não poderia ter outro final para certos personagens, eu tive que ler algumas partes mais de uma vez para ter certeza que de que aquilo estava acontecendo e até agora, algum tempo depois, eu ainda tenho dificuldades de aceitar o que aconteceu. 


 

A minha edição é a edição de colecionador da Amazon, e assim como as outras contém fanarts nas folhas de guarda, um glossário com termos Arnesianos e Antari e um conto, que dessa vez é sobre a história de origem do Kell! Ler esse conto depois de tudo o que passamos com o personagem durante esse livro foi perfeito e me deixou ainda mais maravilhada com o mundo que a Victoria criou. Então se você lê em inglês e pode gastar um pouco mais, compre essa edição que esse conto vale muito a pena.


No fim, foram anos postergando para ler essa trilogia, para no final das contas ler tudo em menos de um mês, ela se tornar uma das minhas histórias favoritas e a Victoria entrar no meu top 3 de melhores autoras. O mundo criado, os temas abordados e os personagens me cativaram de um jeito que só não fiquei tão triste que a história acabou, porque sei que uma nova trilogia vem aí e mal posso esperar por vê-los novamente ^^