Resenha | Sol e Tormenta - Leigh Bardugo

Ano: 2017
páginas: 435
Editora: Square Fish
Compre
----------------
Ano: 2021
páginas: 352
Editora: Planeta Minotauro
Compre
Depois de ficar um pouquinho obcecada pela série "Sombra e Ossos" da Netflix, resolvi que não poderia aguentar até 2022 (nas melhores das hipóteses) para saber como a história iria continuar, então resolvi ignorar minha TBR e mergulhar de vez nessa história para saber o que irá acontecer com Alina, Mal e o tão perigoso e sedutor Darkling.

 

Em Sol e Tormenta, Alina e Mal tentam recomeçar suas vidas em um outro lugar após cruzarem o Mar Real e deixarem suas identidades para trás. Nessa nova terra a conjuradora do sol e o veado de Morozova existem apenas nas histórias de dormir, porém adaptar-se a essa nova vida é algo difícil, ainda mais quando rumores dizem que o Darkling sobreviveu aos perigos da Dobra das Sombras. Alina tem certeza de que o vilão fará de tudo para encontrá-la para finalmente tomar o seu poder e percebe que não pode fugir do passado (ou será do destino?) e se vê novamente ligada a salvação de Ravka, só que para isso recebe a ajuda de um excêntrico corsário que a primeira vista está nessa aventura apenas pelo dinheiro, mas que aos poucos torna-se uma parceria um tanto que valiosa.


Na jornada para derrotar o Darkling, Alina busca entender melhor os seus poderes e conforme eles aumentam ela se vê cada vez mais envolvida com os ideais do conjurador de sombras, ficando cada vez mais distante de Mal e da garota que já foi um dia. Mas chegará o dia no qual ela terá de escolher entre seu país, seu poder e a si mesma ou arriscar perder tudo em busca de mais um mito que pode ou não ser realidade. 


 

Como um bom segundo livro de uma trilogia, ele nos prepara para tudo o que vai acontecer no próximo volume, mas a primeira coisa que eu reparei quando comecei a ler sol e tormenta, foi em como a atmosfera da história parecia estar mudando para algo mais sombrio, como se ao decorrer das páginas a autora estivesse te falando para esquecer as coisas "lindas" vividas no livro anterior e que dali pra frente tudo só iria piorar. Então não se engane com o começo fofinho desse livro, porque as coisas ficam agitadas num nível que eu fiquei um pouco confusa quando algumas cenas que parecem pertencer ao final da história acontecem e fiquei imaginando em como seria o resto do livro se algo tão importante estava sendo mostrado em praticamente 30% da narrativa.


Logo a trama se mostra ser mais política e cheia de estratégias, do jeito que eu gosto, e entendemos melhor sobre o reino de Ravka, sobre a família real, sobre o porque dos territórios do Norte e do Sul e serem considerados inimigos e o que o poder da Alina significa nesse jogo de poder. Aliás, como a protagonista está descobrindo mais sobre si e sobre os seus poderes, a mitologia criada pela autora se torna ainda mais rica e interessante. Gostei muito de saber mais sobre os santos e lendas que sempre são citados na história e também em saber que o Istorii Sankt'ya realmente foi publicado no mundo real, para que eu possa matar minha curiosidade e tentar descobrir se há algo nas entrelinhas de cada história.

 

 

A Alina desse livro está bem distante da personagem que havíamos conhecido em sombra e ossos e seu desenvolvimento é inegável. Considerada uma santa por alguns, traidora por outros ou simplesmente um peão no tabuleiro do poder de Ravka, ela passa por uma torturante jornada para descobrir quem realmente é, se será forte o suficiente para derrotar o Darkling e se tornar responsável por toda uma nação. As questões que regem a personagem foram muito bem construídas pela autora, sendo possível ao leitor entender toda a agonia que Alina passa por estar descobrindo o seu poder e ao mesmo tempo sentir vergonha por querer mais, e por esse poder ser um dos principais fatores por sua crescente solidão. Afinal como diz o Darkling, eles são únicos e ninguém entende o peso que seus poderes tem sobre eles.


O Darkling deixou as máscaras de lado e se tornou ainda mais cruel depois que sua verdadeira intenção em querer Alina por perto foi descoberta. Apesar de aparecer pouco, ele possui as melhores e mais impactantes cenas, utilizando seu charme e influência para deixar a protagonista ainda mais incerta sobre qual caminho percorrer. Gosto muito dele como vilão, pois ele é um personagem bem factível, cheio de boas intenções mas que utiliza artifícios errados para consegui-las. Aliás gosto do Darkling apenas como vilão e nada mais, eu entendo o quanto o personagem é apelativo para os leitores, afinal ele é bonito, tem uma química incrível com a Alina e sempre está incentivando ela a explorar os seus poderes, ao contrário do Mal. Só que ele faz tantas coisas terríveis que pra mim não tem química que resista a isso e não consigo de jeito nenhum shippar Darklina.


Porém o Mal também não se ajuda muito e ao meu ver ele foi o único personagem que não teve um grande desenvolvimento, continuando a ser o personagem chato que sempre põe a Alina para abaixo por ver que ela está mudando. Tenho a dizer que apesar disso eu meio que consigo entender ele e algumas vezes até consegui não ficar com raiva de algumas ações dele, mas olha alguém tem que conversar com ele e explicar que apesar de Grisha as pessoas não leem mentes. Outra coisa é que apesar de não gostar muito do personagem não acho justo a comparação que fazem entre ele o Darkling, sobre quem seria melhor para Alina, simplesmente pelo fato de que um é um adolescente de 16/17 anos e o outro é um adulto de mais de 500 anos. 


Nesse livro temos novos personagens adicionados na história, que ajudam a entender melhor o que está acontecendo fora de Ravka, porém o melhor deles com certeza é o Sturmhond. Não vou dizer muito sobre ele para não estragar a surpresa, mas eu amei todas, sim TODAS, as cenas dele. Assim que ele abriu a boca para dizer o primeiro dialogo eu já sabia que ele ia entrar para o meu hall de personagens favoritos e conforme a história foi andando isso foi se concretizando ainda mais e agora não vejo a hora de ler mais sobre ele nos próximos volumes

 

 

Esse é mais um daqueles finais onde é muito importante ter o próximo volume já em mãos de tão bom que ele é e ao contrário do que eu pensava as cenas finais não ficaram nada a desejar e foram tão impactantes quanto as cenas iniciais, mostrando como a escrita da autora evoluiu, sendo capaz de construir uma história mais dinâmica onde cada momento é inseridos no tempo certo instigando o leitor cada vez mais.

 

A minha edição é a paperback em inglês e ela possui alguns conteúdos bônus. Uma entrevista com a Leigh Bardugo, onde ela fala sobre o processo de criação da história e um conto sobre a história da Genya, que eu achei muito bom pois explica ao leitor o que aconteceu para que ela ficasse do lado Darkling apesar das atitudes questionáveis dele. A única coisa ruim dessa edição é que ela vem com um selo impresso na capa falando da série da Netflix. Não tenho nada contra divulgar a série, até porque quanto mais gente assistindo mais chances de adaptares os outros livros, mas esse selo podia ser removível e não algo que está impresso na capa!! 

 

De modo geral eu gostei bem mais desse livro do que do anterior, pois ele não caiu na maldição do segundo livro e nos trouxe um grande desenvolvimento dos personagens e maior enriquecimento da mitologia. E agora que eu conheço a história, mal posso esperar pela segunda temporada da série e ver quem eles escolheram para fazer certos personagens e como vão mesclar essa história com a dos corvos.

7 comentários:

  1. Oi Thaty,
    Só de não cair na maldição do segundo livro, a gente já se anima a maratonar a leitura! rs
    Eu acho essa edição em inglês tão linda... Ainda não li os livros, mas assisti a série e Darkling tem meu coração, tomara que ele não me decepcione nos livros kkkk
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Thaty,
    Sua resenha só me deixou mais curiosa. Eu amei a série, estou me segurando para não comprar os livros ainda, mas concordo contigo, aquele selo da Netflix podia ser adesivo ou menor, acho muito grande.
    Amei sua resenha, tô doida pra ler também ^^
    Bjos
    Kelen Vasconcelos
    https://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá...
    Ultimamente ando lendo excelentes comentários sobre a escrita da Leigh Bardugo, muita gente já me recomendou. Agora, depois de ler essa resenha maravilhosa preciso criar vergonha na cara e ler logo algo dessa autora.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi,Thaty. Tudo bem? Me parece uma leitura excelente, não é mesmo? Sua resenha está incrível. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Que bom que te foi uma boa leitura, e melhor ainda, não caiu na maldição do segundo livro. Eu ainda não li essa saga, nem assisti a adaptação da Netflix. Mas está na lista para conferir um dia ainda.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  6. Oie, eu lembro que adorava essa história e preciso reler para relembrar.

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu já conhecia o livro mas, não nessa edição maravilhosa, estou apaixonada nessa capa e nas letras desse livro, amei as fotos e gostei da sua resenha. Gosto de livros assim apesar de não ter lido esse ainda.
    beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir