Resenha | Teen Titans: Raven - Kami Garcia

Ano: 2019
páginas: 192
Editora: DC ink
Compre
----------------
Ano: 2020
páginas: 192
Editora: Panini
Compre
  
Durante a CCXP do ano passado resolvi que iria aproveitar o modo online e prestar mais atenção no artist's alley, coisa que nas edições presenciais por eu estar mais dedicada aos painéis raramente eu faço. Eu já conhecia o Picolo das fanarts de Jovens Titãs no instagram e até possuo alguns prints dele e quando eu descobri que ele iria ilustrar uma HQ da Raven para a DC, eu sabia que tinha que ter ela.


Nessa HQ, vemos que após o trágico acidente que tirou a vida de sua mãe adotiva, Raven se muda para Nova Orleans para se recuperar do trauma e terminar o ensino médio. Porém uma coisa estranha aconteceu e a personagem não consegue se lembrar sobre quem ela era antes do acidente: sua música preferida, o que ela gosta de comer no café da manhã ou onde ela estudou antes. Agora numa nova cidade (e numa nova escola), ela deve recomeçar sua vida, fazer novos amigos, sobreviver ao ensino médio e decidir se quer enfrentar o passado e a escuridão que cresce dentro dela.

 

Essa é uma história de origem da personagem e pra mim que nunca havia lido nada referente a ela antes senti que foi uma boa introdução. Como a Raven não se lembra quem ela era antes do acidente, vamos descobrindo mais sobre a personagem junto com ela mesma e eu curti muito isso ter sido mostrado numa Raven adolescente, pois podemos criar um paralelo com o jovem que está descobrindo quem ele é na sociedade.


 

A família adotiva da Raven é uma família criada por mulheres fortes e independentes, dando para a história um bom protagonismo feminino (eu queria muito saber mais sobre elas, mas infelizmente não dá pra colocar tudo num primeiro volume, mas espero que nos outros esse ponto volte a ser abordado). Esse protagonismo faz com que as leitoras sintam-se bem-vindas e contribui para aumentar a representatividade da mulher de um jeito que não seja sexualizado na indústria.

 

A história contém vários plot twist, (alguns eu já esperava e em outras fui pega de surpresa) e por ser  focada para o público jovem adulto, conta com uma história leve e repleta de clichês adolescentes (como o "primeiro dia" na escola nova, a garota popular chata e o menino bonito que nunca olha pra mocinha). Pra mim essa parte da história não funcionou muito, mas eu acabei relevando, pois não faço parte do público alvo.


Se assim como eu você achou o nome da autora muito familiar, é porque a Kami Garcia é a autora a autora de Dezesseis Luas e justamente por ter escrito um série de YA sobrenatural, acho que ela foium ótima escolha para escrever esse texto. E como eu já havia dito no começo, as ilustrações são feito pelo talentosíssimo Gabriel Picolo que é um brasileiro que começou na internet compartilhando fanarts sobre os jovens titãs nos dias atuais e ele foi tão abraçado pelos fãs que finalmente a DC chamou ele para ilustrar HQs.


 

Aliás essa HQ é a primeira de uma série, onde o segundo volume é do mutano e a terceiro é do casal (Raven e Mutano). Infelizmente ainda não li os outros volumes, mas a CCXP desse ano já está logo ali não é mesmo? HAAHAHA.


Então se você for fã dos jovens titãs, do Picolo, da Kami ou apenas quer tentar ler uma coisa nova, Teen Titans: Raven é uma boa pedida.

4 comentários:

  1. Olá!
    Amei a história e vou querer ler mesmo tendo muito tempo que nãio HQ. Amei a premissa da história.
    beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto bastante de Jovens Titãs, mas nunca li os quadrinhos, acredita? Eu gostei bastante de saber que essa é uma boa introdução sobre a Raven, que eu até gosto bastante, mas também pouco sabia sobre a história dela. A ilustração está mesmo um arraso, o que combina perfeitamente com a personagem. =)
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Eu conheço a personagem bem vagamente pela animação. Mas daria uma chance porque a Kami está envolvida. E na época em que li Dezesseis Luas eu curti.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Acho que conheço só de nome pela animação, mas nunca li nada a respeito. Achei a história interessante. Acho que nunca li uma HQ, (Turma da Mônica conta?), é uma boa dica de uma para começar!

    Até mais;
    Mente Hipercriativa | Universo Invisível

    ResponderExcluir